Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 20/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 20/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 20/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 20/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 20/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/11 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Ingressos para ver Al Pacino no teatro em Paris custam quase mil euros

media Al Pacino, no festival de Veneza, em 2014. Reuters/Tony Gentile

O ator americano Al Pacino, 78 anos, vai apresentar um espetáculo em um teatro de Paris nos dias 22 e 23 de outubro. Apesar do preço, entre €90 e €950 (aproximadamente R$430 e R$4.500, respectivamente), os bilhetes mais baratos foram vendidos rapidamente. “Eu te amo, Al Pacino, mas não vou poder escolher entre você e o meu aluguel”, brincou um internauta no Twitter.

Em Paris, ele fará o espetáculo solo “Uma noite com Al Pacino”, em inglês e sem tradução, onde vai falar sobre sua carreira no cinema e no teatro. “Sonho há muito tempo em me apresentar em Paris”, disse o ator.

“Graças a um amigo em comum, [o ator francês] Jean Reno, o sonho de Al Pacino vai se concretizar finalmente. Ele tem uma imensa paixão pelo teatro e conhece os grandes textos”, declarou Richard Caillat, diretor-geral do Teatro de Paris, que recebe o artista.  

Michael Corleone e Tony Montana

Aos 78 anos, Pacino é um dos maiores ícones do cinema americano, tendo imortalizado personagens em filmes como a trilogia de O Poderoso Chefão, Scarface e Serpico. Ele ganhou o Oscar de melhor ator em 1993, com Perfume de Mulher. Mas o ítalo-americano também tem uma sólida carreira no teatro, tendo protagonizado várias montagens, entre outras, de Shakespeare, como Ricardo III, Otelo e O Mercador de Veneza.  

“Eu nunca quis realmente fazer Hamlet, mas ele sempre foi uma fonte de inspiração em toda a minha carreira. Gosto de Tchekhov, Molière e muitos outros dramaturgos”, declarou Pacino em uma entrevista ao jornal Le Figaro.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.