Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Caetano estreia na França show com filhos e diz que Brasil vive “depressão coletiva”

media Na imprensa francesa desta quinta-feira destaque para a turnê europeia de Caetano e filhos, com o show Ofertorio, que estreia esta noite em Lyon, no sudeste da França. Fotomontagem RFI

Na resenha da imprensa francesa desta quinta-feira (5) destaque para a turnê europeia de Caetano Veloso e filhos, que estreia hoje em Lyon, no sudeste da França, com o show Ofertório. Le Figaro escreve que o músico se sai muito bem como “patriarca”. Ao Le Monde, Caetano fala da atual situação política do país e diz que a prisão de Lula contribui para a “depressão coletiva” que vive o Brasil.

Le Figaro diz que o show Ofertório é uma história de família. Os franceses terão a oportunidade de ouvir, nesta quinta em Lyon e no próximo sábado (7) em Paris, “não um, mas quatro Velosos”. “O gênio da música popular brasileira”, se apresenta com seus três filhos, detalha o jornal.

O show era um sonho antigo do cantor. Ele já colaborava com seu filho mais velho, Moreno, há vinte anos, mas teve que esperar os dois mais novos, Zeca e Tom, crescerem e convencê-los a montar o espetáculo.

Na entrevista ao Figaro, Caetano conta que Zeca começou a compor adolescente e que o mais difícil foi convencer Tom, que criança, só queria saber de futebol. O caçula da família Veloso acabou aprendendo violão, criou a banda Dônica com amigos de escola, e hoje é "talvez o mais talentoso de todos nós", elogia o pai orgulhoso.

O Figaro destaca a voz espetacular do intérprete de "Todo Homem" e ressalta que a canção é um sucesso no Brasil, com mais de 2 milhões de acessos na internet. O jornal francês, contudo, atribui a interpretação a Tom Veloso, embora na realidade quem cante a música seja Zeca.

Caetano revela ao jornal que nunca tinha tido vontade de ter filho até ser preso e exilado durante a ditadura militar brasileira e que, hoje, tocar ao lado dos filhos, desperta nele um sentimento de felicidade que não sente com nenhum outro músico, mesmo os mais talentosos.

O jornal conclui o artigo dizendo que cinquenta anos após o lançamento do Tropicalismo, que revolucionou a MPB, Caetano “cria unanimidade por onde passa. Mas agora, o ex-revolucionário e eterno jovem desempenha um novo papel, o de patriarca, e se sai muito bem!”

Mais atento do que mobilizado

A eterna juventude de Caetano, “sempre elegante e cheio de graça com quase 76 anos”, também chama atenção do Le Monde. O vespertino também explica em detalhes aos leitores como germinou a ideia desse show familiar. Desvenda que “Ofertório” é o nome da música que Caetano compôs para a missa de aniversário de 90 anos da mãe dele.

Depois, a matéria com a entrevista do músico ao Le Monde passa a ser muito mais política. O texto lembra o contexto de Copa do Mundo, que "parece não suscitar mais o interesse de antes no país do futebol". Caetano indica ao jornal duas razões para isso: o vergonhoso 7 a 1 para a Alemanha há quatro anos e a difícil situação política do Brasil. "Nossa moral está em baixa, o país está deprimido e o fato de Lula estar na prisão contribui muito para essa depressão coletiva", declara o músico, que acha difícil prever o que vai acontecer.

Ele se diz “mais atento do que mobilizado e muito preocupado com a violência que está gangrenando o país.” Para o jornal, Caetano contribui com suas canções a trazer a poesia de que este mundo tanto precisa.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.