Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Em turnê europeia, São Paulo Cia de Dança traz leitura do mundo em seus passos

Em turnê europeia, São Paulo Cia de Dança traz leitura do mundo em seus passos
 
A diretora da São Paulo Companhia de Dançan Inês Bogéa Reginaldo Azevedo/Divulgação

A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) está em turnê europeia de 45 dias. “Trazemos uma variedade do repertório que mostra a diversidade da dança brasileira, seja através de movimentos criados por coreógrafos internacionais ou brasileiros”, explica Inês Bogéa, diretora da companhia desde a sua criação, há dez anos.

Em Créteil, perto de Paris, as apresentações acontecem até sábado (5) e trazem no programa The Seasons, do canadense Édouard Lock, feita especialmente para o SPCD; GEN, da brasileira Cassi Abranches; e Gnawa, do espanhol Nacho Duato. “Cada obra revela um pouco da capacidade técnica e artística dos bailarinos da companhia”, explica Inês.

Além de trabalhar clássicos e contemporâneos, o SPCD também se interessa por novidades. “A gente procura dar espaço para que coreógrafos do nosso tempo criem obras especiais para os artistas da casa e, com isso, a gente veja um pouco do mundo em movimento, como é que os coreógrafos estão percebendo as questões”, diz a ex-bailarina, que dançou muitos anos na companhia mineira Corpo.

Dança para todos

Inês Bogéa faz uma reflexão sobre os dez anos do SPCD: “Os desafios são cotidianos, tem a ver com a construção da identidade da companhia, o encontro de um repertório capaz de se dançar em pequenos e grandes do mundo, o diálogo com a sociedade. Eu procuro abrir espaço para que a companhia seja de todos nós, que o brasileiro possa se ver reconhecido no nosso trabalho”.

Para lidar com a crise e cortes de orçamento, Inês conta que a solução foram as parcerias. “Foram 160 no ano passado, o que possibilitou 99 espetáculos para uma companhia de 32 bailarinos, em palcos diversos”.

E os projetos não param. Para setembro, Inês Bogéa anuncia uma criação especial para o SPCD da francesa Joëlle Bouvier, com estreia em setembro no Brasil, e em 2019 no teatro Chaillot, o grande templo da dança em Paris.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Cultura

    Coreógrafa francesa Maguy Marin prepara bailarinos da Escola da Maré para espetáculos na França

    Saiba mais

  • Brasil-Mundo

    Bailarino brasileiro dança em palcos e prisões da Alemanha

    Saiba mais

  • Cultura

    Em novo trabalho, coreógrafo Jérôme Bel brinca com balé clássico

    Saiba mais

  • Cultura

    Brasileiro dança em produção francesa no Festival de Outono de Paris

    Saiba mais

  • Brasil/Coltrane

    Bailarino brasileiro dança em Paris ao som de Coltrane

    Saiba mais

  • Lia Rodrigues/balé/Paris

    Em Paris, Lia Rodrigues apresenta balé de cheiros e inspirações

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.