Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/07 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

“Escrever já é uma resistência”, defende poeta Ana Elisa Ribeiro em Paris

“Escrever já é uma resistência”, defende poeta Ana Elisa Ribeiro em Paris
 
A poeta mineira Ana Elisa Ribeiro nos estúdios da RFI em Paris. RFI

A poeta brasileira Ana Elisa Ribeiro esteve em Paris esta semana, onde participou da 14ª edição da Bienal internacional de Poetas. Ela fazia parte de uma delegação de autores brasileiros que participaram do evento, que homenageou as literaturas do Brasil, Argentina e Colômbia, e cujo tema foi “Estado de Urgência Poética”.

Ana Elisa Ribeiro tem uma produção literária diversa, composta de poesias, contos, crônicas e textos acadêmicos, já que é também é professora universitária. Mas é como poeta que parece se sentir mais realizada. “É com a poesia que eu tomo mais cuidado e com ela que eu tenho mais carinho”, comenta a autora.

Talvez por esse motivo ela tenha se sentido pessoalmente atacada ao ter um de seus poemas duramente criticado. Em 2015, Ciuminho Básico foi apresentado por engano para estudantes do Ensino Fundamental, o que chocou os pais dos alunos, que acusaram a escola de usar material erótico na sala de aula. “Isso certamente tem a ver com o fato de eu ser uma mulher, que não poderia escrever um poema considerado violento”, analisa a autora.

Mas o episódio não afetou sua liberdade de criação. “De forma alguma eu deixei de escrever algo porque alguém considera sórdido”, retruca. “As artes também são o lugar de resistência, e escrever já é uma resistência”, frisa a autora, que também defende o gênero literário.

“Do ponto de vista do mercado, a poesia continua sendo marginal, com aquela história de que vende menos. Mas também movimenta muito as pequenas editoras, que são as corajosas, que trazem à tona essa produção efervescente no Brasil”, ressalta a autora, que participa da Bienal francesa junto com os colegas mineiros Ana Martins Marques, Fabrício Marques, Edimilson de Almeida Pereira e Lucas Guimaraens, que foi o curador convidado para esta edição do evento.

Clique na foto acima para ouvir a entrevista na íntegra ou assista o vídeo. 


Sobre o mesmo assunto

  • RFI CONVIDA

    Brasileiro Lucas Guimaraens é curador convidado da Bienal de Poetas na França

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    "Clarice Lispector é única não só no Brasil, mas no mundo também", diz biógrafo Benjamin Moser

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Izabella Borges: "existe uma lenda que literatura brasileira não vende na França"

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.