Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Festa da Música na França tem muito calor e segurança reforçada

media Festa da Música diante da Sorbonne, em Paris. Alain BENAINOUS

Com temperatura máxima de 37°C, Paris comemora nesta quarta-feira (21) o início do verão com a tradicional Festa da Música. O evento, criado há 36 anos pelo então ministro da Cultura Jack Lang, virou data obrigatória do calendário cultural da França e já se espalha por 120 países. A segurança em todo o país foi reforçada depois de uma série de atentados em Paris.

Este ano não há um tema específico. Em sua primeira Festa da Música, Françoise Nyssen, a nova ministra da Cultura, preferiu a pluralidade e a liberdade de escolha. Em Paris, bandas, grupos e todos os tipos de formações vão se instalar em teatros, parques e em esquinas de todos os bairros. As misturas de ritmos e sons são bem vindas. Diante do palácio do Eliseu, sede da presidência, por exemplo, o programa tem música clássica de estudantes e salsa tocada por uma orquestra jovem da Colômbia.

A música eletrônica vai dominar o parque de La Vilette, no norte de Paris. Museus como o Eugène-Delacroix e o Jean-Jacques Henri propõem repertórios clássicos de conservatórios para serem degustados ao mesmo tempo que os quadros pintados pelos dois artistas que dão nome às instituições.

Música inspirada pelo Saara

A world music também se espalha pela capital francesa. O Instituto do Mundo Árabe é um palco que já faz parte do itinerário da Festa da Música. Neste ano, o destaque vai para a “nova geração”, com seis grupos de diferentes origens árabes, incluindo um trio parisiense de “electro-pysché punk”, o Cheveu, que apresenta o som resultante de uma road trip pelo Saara. O nigeriano Tony Allen, figura de proa do afrobeat, tem lugar de destaque na sede do ministério da Cultura.

As palavras “batucada”, “chorinho”, “pagode” e “bossa nova” também são presenças obrigatórias na programação da Festa da Música, como em todos os anos. Timbão, Sambinho e Roda do Cavaco são alguns dos grupos que atraem fieis admiradores da música brasileira.

No Brasil também haverá shows em várias cidades, como Rio de Janeiro, Curitiba, Franca (SP) e Uberlândia (MG). Os eventos de todos os países podem ser consultados no mapa interativo do site oficial da Festa da Música.

Segurança reforçada

Diante dos últimos atentados em Paris, o ministério do Interior anunciou que vai mobilizar 48 mil policiais, além dos militares da operação “sentinela”, já a postos em todo o país. Como no ano passado, por causa da lei de estado de emergência decretado em 2015, dois locais tradicionais não se transformam em palco em 2017: as praças Denfert-Rochereau e a Bastilha.

 
O tempo de conexão expirou.