Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Christiane Jatahy traz a Paris peça inspirada em Macbeth

Christiane Jatahy traz a Paris peça inspirada em Macbeth
 
Christiane Jatahy vai dirigir uma peça na Comédie-Française. www.christianejatahy.com.br

“Macbeth”, de Shakespeare, é um tratado sobre a ganância, a sede pelo poder. Um trono, custe o que custar, inclusive matar o rei. Uma profecia alerta Macbeth que sua trajetória só seria interrompida quando a floresta andasse. A diretora carioca Christiane Jatahy se inspirou no texto do bardo inglês para criar “A Floresta que Anda”, em cartaz em Paris, no espaço 104.

Mais que uma peça, “A Floresta que Anda” é também uma instalação. O espectador entra num espaço como se fosse uma vernissage, com vários telões projetando vídeos, com bebidas sendo servidas. Alguns espectadores recebem um receptor de rádio e logo a diretora se apresenta e pede a participação de um ou outro para tarefas inusitadas, como colocar a mão em uma bolsa cheia de sangue falso ou tirar cédulas de dinheiro – verdadeiras – da mesma bolsa, manchadas de sangue.

As telas se deslocam, as pessoas são filmadas sem perceber e a atriz Júlia Bernat atua no meio do público. “Eu trabalho muito pensando sobre algumas linhas de fronteira e como é possível trazer novos territórios para o teatro e para a criação cênica”, diz Christiane Jatahy. “A vernissage é de uma certa forma uma ficção dentro da realidade da videoinstalação”, acrescenta. “O público participa da construção da trama”.

Os vídeos documentam relatos de jovens que foram contra um determinado sistema - político, econômico e social – e como as consequências afetaram suas vidas, seja como refugiado ou um estudante preso no Rio.
“A Floresta que Anda” fecha uma trilogia que começou com "Júlia", peça baseada em “Senhorita Júlia”, de Strindberg, e teve sequência com “E Se Elas Fossem Para Moscou?”, a partir de “Três Irmãs”, de Tchecov. Todas as produções foram apresentadas em Paris e tiveram a participação da atriz Júlia Bernat.

Para o ano que vem, Christiane Jatahy prepara uma produção para a conceituada Comédie-Française. Ela vai adaptar o filme "Regra do Jogo", de Jean Renoir.

Para ouvir o áudio da entrevista completa clique na foto no alto da página:

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • Teatro/Paris

    Versão carioca da peça Senhorita Julia volta a ser encenada em Paris

    Saiba mais

  • Atriz Julia Bernat grita "não vai ter golpe" em festival em Paris

    Saiba mais

  • Filme "Aspirantes" usa futebol para tratar de inveja e competição

    Saiba mais

  • Christiane Jatahy/Comédié-Française

    Diretora carioca Christiane Jatahy prepara peça para Comédie-Française

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.