Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/04 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/04 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Para Vargas Llosa, vitória de Keiko Fujimori no Peru seria “catástrofe”

media O escritor Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, em Madri, dia 1/3/2016. REUTERS/Andrea Comas

De passagem por Paris, Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, falou com exclusividade à RFI a respeito das eleições presidenciais no Peru, domingo. Ele também negou ter conhecimento de uma empresa offshore em seu nome, citada no escândalo Panama Papers.

As pesquisas de opinião indicam que a filha do ex-presidente Alberto Fujimori pode alcançar 34% dos votos no pleito presidencial de domingo. O pai cumpre atualmente pena de prisão por corrupção e crimes contra a humanidade. Vargas Llosa garantiu que vai votar em Pedro Pablo Kuczynski, de centro-direita.

“Uma vitória de Keiko Fujimori seria uma catástrofe”, declarou o escritor, de maneira enfática. “Seria reivindicar uma das ditaduras mais sanguinárias e sobretudo corrompidas que o país já teve. Creio que há um setor da população que sonha com a volta de um homem forte. Mas estou certo de que ela será derrotada no segundo turno, seja quem for o adversário”.

Autor peruano tem obra reunida em coleção francesa de prestígio

O prêmio Nobel esteve em Paris para o lançamento de seu último romance, “Cinco Esquinas”, ambientada justamente durante a ditadura de Fujimori. Outros oito livros do autor peruano aparecem também La Pléiade, da editora Gallimard, que reúne os mais importantes autores da literatura universal. Vargas Llosa é um dos raros escritores, e único estrangeiro, a receber a honra ainda em vida.

“Quase desmaiei de emoção quando soube”, declarou o escritor no auditório do Instituto Cervantes, de Paris, nesta quinta-feira (7), falando a respeito de sua inclusão na coleção francesa. Ele disse ainda que Lima foi uma fonte de inspiração e expressou  apego por Paris, onde viveu na juventude.

“Gosto muito da França, devo muito a ela. Quando jovem, eu tinha a ideia de que uma pessoa que quisesse se tornar escritor tinha que vir a Paris. Pode parecer ingenuidade, mas se hoje sou um autor, em grande parte devo isso à França e a seus escritores”, declarou o Nobel.

“Nunca coloquei um dólar nessa empresa”, diz Vargas Llosa sobre conta offshore

Segundo o jornal digital espanhol El Confidencial, integrante do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICJI), que divulgou os documentos da Mossack Fonseca, Vargas Llosa e Patricia Llosa, da qual está em processo de divórcio, estão vinculados à empresa Talome Services Corp. A offshore estava registrada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens, de 1° de setembro a 6 de outubro de 2016.

Questionado por jornalistas ainda no Instituto Cervantes a respeito do escândalo Panama Papers, o escritor declarou que não sabia da existência da conta. “Estou surpreso e desconheço essa conta aberta durante cinco semanas em meu nome e no de minha mulher”, declarou. “Nunca coloquei um dólar nessa empresa”, acrescentou Vargas Llosa.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.