Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Musical “Carmen la Cubana” chega a Paris em espanhol

media Luna Manzanares Nardo vive Carmen em produção encenada em Paris. DR

O projeto de se fazer um musical baseado na ópera Carmen, de Bizet, por sua vez inspirada no livro de Prosper Mérimée, começou há três anos, bem antes da reaproximação de Washington e Havana. A estreia do musical, todo cantado em espanhol, foi em Paris, na quarta-feira (6).

A primeira versão em forma de musical, Carmen Jones, chegou aos palcos da Broadway em 1943, assinada por Oscar Hammerstein II. A história foi transplantada para a comunidade negra operária de Chicago. Em 1954, Otto Preminger transformou Carmen Jones em filme.

Christopher Renshaw, diretor britânico de óperas e musicais, é quem está por trás do novo espetáculo, ambientado em uma Havana de 1959, semanas antes da intervenção castrista. “Há muito tempo eu sonhava em montar uma Carmen Jones em espanhol”, declarou ao jornal Le Monde. Renshaw queria também fazer a montagem em Cuba, mas por ser residente nos EUA, o bloqueio americano à ilha tornava o projeto impossível.

Projeto buscou preservar autenticidade cubana

Mas aos poucos o show foi tomando forma, apesar da distância. “Eu quis que a música refletisse a cultura cubana de maneira autêntica, é uma cultura valiosa que precisa ser preservada, agora que Cuba se abre ao mundo”, acrescentou Renshaw.

A direção musical ficou a cargo de Alex Lacamoire, americano de origem cubana, que também atua na Broadway. Ele introduziu percussão “à la cubana”, assim que várias referências musicais.

Já Carmen é vivida pela cantora cubana de jazz Luna Manzanares Nardo. O libreto e a coreografia também ficaram a cargo de cubanos, Norge Espinosa Mendonza e Roclan Gonzalez Chavez, respectivamente.

As primeiras críticas falam de uma versão bastante “quente”. “Carmen la Cubana” fica em cartaz até o final de abril, no teatro do Châtelet, e segue para Alemanha e Londres.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.