Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Cantora cabo-verdiana Élida Almeida ganha o Prêmio Découvertes RFI

media Elida Almeida Lawson Daku

A cantora, compositora e violonista cabo-verdiana Élida Almeida é a vencedora do Prêmio Découvertes RFI. Ela realiza nesta segunda-feira (4), às 21h, um show no Pan Piper, em Paris, com transmissão ao vivo pelo site da Rádio França Internacional. O espetáculo lança a sua turnê africana, que passará por 18 países.

Élida nasceu em 1993 em Santa Cruz, na ilha de Santiago. Após a morte do seu pai, que teve um efeito devastador sobre a então menina, ela se mudou com mãe para a ilha de Maio. Mas, apesar de tudo, ela recusou deixar que a tragédia afetasse a sua vida.

Elida Almeida Lawson Du

Depois das aulas na escola, ela ajudava a mãe, que trabalhava como vendedora ambulante. Ela também participava de um coral na igreja, onde aprendeu a cantar, e chegou a apresentar um programa de rádio.

"Comecei a cantar salmos com o grupo coral da igreja. As pessoas elogiavam-me muito, mas isso não me dizia nada. Foi só quando voltei para Santiago que um amigo que tinha uma guitarra me disse: ‘Elida, tens uma voz!’... Começou a ensinar-me as notas e a incentivar-me tanto que concorri ao Santa Cruz Canta, um concurso anual, que acabei por ganhar com a canção que veio a ser o meu primeiro single. As pessoas enlouqueceram quando eu apanhei a guitarra porque sou a primeira menina de Santa Cruz que aprendeu a tocar. Ou melhor, que está a aprender: continuo naquelas notas que o meu amigo me ensinou, ainda não evoluí muito”, disse em entrevista ao jornal português Público.

Seu sonho era ser juíza, para defender os mais pobres, mas a música falou mais forte. Aos 16 anos, uma gravidez inesperada a impediu de frequentar a escola. “Meu Deus! Quando me lembro do dia em que fiz o teste... Nunca mais quero ter um dia assim. A minha mãe ficou triste, desiludida, zangada, eu era uma menina muito esperta e de repente apareço grávida... Perdeu a esperança de me ver a estudar, a trabalhar, a casar”, contou. Mas, quando o filho nasceu, ela voltou para Santa Cruz para continuar os estudos. Ela escreveu a primeira música quando ainda cursava o ensino médio.

A cantora Elida Almeida, durante show em Paris. RFI/ Guillaume Thibault

Seu primeiro disco, “Ora Doci Ora Margos”, de 2014, é totalmente inspirado na sua infância e adolescência e nas experiências doces e amargas pelas quais passou. Ela escreveu as letras e compôs a melodia de quase todas as canções. Élida canta com uma honestidade emocionante, com sua voz profunda e poderosa. Em 2015, venceu o prêmio de revelação no Cabo Verde Music Award.

Assista ao show ao vivo de Elida Almeida as 21h em rfibrasil

 

 
O tempo de conexão expirou.