Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Montagem inovadora de Ricardo III de Shakespeare é ovacionada em Avignon

Montagem inovadora de Ricardo III de Shakespeare é ovacionada em Avignon
 
Lars Eidinguer no papel de Ricardo III faz uma interpretação surpreendente da personagem mais maquiavélica de Shakespeare. Arno Declair

Uma versão bem contemporânea de Ricardo III, dirigida pelo alemão Thomas Ostermeier, é o maior evento de público e de critica até agora no Festival de Avignon, que acontece no sul da França.

Ovacionada em todas as apresentações e com bilheteria esgotada, a peça é a grande sensação do festival, não só pela direção criativa de Ostermeier - célebre dramaturgo do Teatro Schaubuhne de Berlim - mas também pela atuação excepcional do ator alemão Lars Eidinger, que interpreta Ricardo, a personagem corcunda, deformada e maquiavélica de Shakespeare.

Os aficionados de teatro associam Ricardo III à frase célebre: “Meu reinado por um cavalo”. Para muitos, o protagonista da peça considerada uma das mais sombrias de Shakespeare, é a personagem mais assustadora do dramaturgo britânico. Encarnação do mal absoluto, Ricardo é um manipulador capaz de todos os crimes e traições no seu caminho obsessivo em direção ao poder, num contexto de luta na Inglaterra do século XV entre as famílias Lancaster e York.

“Sabor de Contemporaneidade”

A originalidade da direção de Ostermeier é mostrar através desse personagem maléfico da Corte de Inglaterra um Ricardo III revelador dos instintos escondidos em todos nós.

Nos diversos monólogos da peça, Lars Eidinger, ator fetiche do dramaturgo alemão, parece fazer confidências ao público, não poupando improvisações, o que é a essência do teatro de Shakespeare. A ideia do diretor alemão é aproximar o espectador de uma das personagens mais assustadoras de Shakespeare, sem um julgamento moral.

A professora Maria Lúcia Puppo, do Departamento de Artes Cênicas (CAC) da USP. M. Alencar
Belíssimo espetáculo, uma concepção de direção bem contemporânea e um trabalho de ator magistral

Entrevistada pela RFI, a professora de Teatro da USP e freqüentadora assídua do Festival de Avignon se impressionou por essa montagem de Ricardo III: “Vale a pena ver um Shakespeare com esse tom de atualidade, com esse sabor de contemporaneidade”.

Maria Lúcia destaca a sutileza da interpretação de Eidinger: ”Seu Ricardo nos coloca frente a frente com toda a crueldade que o ser humano é capaz. E ao mesmo tempo, a personagem é de uma humanidade impressionante” - diz ela.

Depois de Hamlet e Otelo, apresentados também em Avignon, com esse Ricardo III o diretor alemão parece fechar um ciclo Shakespeare, com sucesso.

A peça Ricardo III (Richard III) de Tomas Ostermeier fica em cartaz na Opéra Grand Avignon até o próximo dia 18 de julho.

 


Sobre o mesmo assunto

  • Cultura

    Imigração, guerra e terrorismo são temas de peças do Festival de Avignon 2015

    Saiba mais

  • Cultura

    Peça sobre bailarino Nijinsky é o único espetáculo brasileiro no Festival de Avignon

    Saiba mais

  • França

    Festival de teatro de Avignon 2015 revisita obras clássicas

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.