Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Festival francês prestigia cinema latino e brasileiro

media Cena do filme "Ausência", de Chico Teixeira. Divulgação

Dois filmes brasileiros disputam o prêmio principal do 27° Festival de Cinema de Toulouse, no sudoeste da França: « Ausência », de Chico Teixeira, e « Beira Mar », de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon. Já entre os documentários, o Brasil tem três candidatos na competição. Três curtas também podem ser premiados.

O Cinélatino toma Toulouse durante dez dias, época em que o espanhol vira uma segunda língua pelas ruas da « cidade rosa ». O panorama é generoso, com uma centena de produções latinas. Além de ser uma vitrine importante na França para os novos talentos latinos, o festival também organiza encontros com os diretores e eventos paralelos. A alegre população universitária da cidade contribui em peso, com voluntários por toda a parte.

Ritos de passagem

O longa « Ausência » trata da difícil passagem para a vida adulta de Serginho, 14 anos, que de repente é confrontado com desafios, responsabilidades e desejos. « Beira Mar » também trata de jovens, no caso, dois amigos em uma jornada de intimismo e reflexão. É o primeiro longa da dupla Matzembacher e Reolon, que juntos já assinaram outros doze curtas.

Entre os documentários, os candidatos são: « A Revolução do Ano », de Diogo Faggiano, « Campo de Jogo », de Eryk Rocha, e « Tudo Vai Ficar da Cor que Você Quiser », de Letícia Simões.

O tema da adolescência, « a idade do possível », permeia todo o festival. Nas mostras paralelas, o Brasil comparece com vários filmes que abordam a temática, como o delicado « Hoje Eu Quero Voltar Sozinho », candidato brasileiro ao último Oscar, mas não selecionado, de Daniel Ribeiro, e o trágico « Pixote », de Hector Babenco.

O Cinélatino acontece até o dia 29 de março. Os vencedores serão anunciados na véspera.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.