Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Espanha pode ter encontrado restos mortais de Miguel de Cervantes

media A antropóloga Almudena García Cid exibe imagens do caixão contendo ossos que seriam de Cervantes. REUTERS/Andrea Comas

A Espanha anunciou nesta terça-feira (17) que pode ter encontrado restos mortais de Miguel de Cervantes, o autor de Dom Quichote, quase 400 anos após a morte do escritor. Um caixão com as iniciais M.C. foi descoberto sábado na cripta da igreja das Trinitarias Descalzas, no centro de Madri. Os espanhóis receberam a notícia com surpresa e entusiasmo.

Os fragmentos de ossos que seriam do famoso poeta, dramaturgo e novelista espanhol foram localizados por cientistas que trabalham há um ano no local. A equipe de arqueólogos, historiadores e técnicos forenses encontrou o caixão com as iniciais em um dos nichos da cripta do templo. Em uma das tábuas de madeira, muito deteriorada, são visíveis as iniciais M.C., que coincidem com Miguel de Cervantes.

Os investigadores não confirmam ainda se os ossos pertencem ao escritor, até porque o caixão contém também ossos que parecem ser de uma criança. Agora será necessário separar os ossos e verificar se eles correspondem aos de um homem de 68 anos - a idade do escritor quando morreu - e também se apresentam algumas das lesões que podem identificar Cervantes, como as sofridas na batalha de Lepanto. A madeira do caixão também será analisada, para conseguir uma datação.

Descoberta surpreende espanhóis

A descoberta causou surpresa e também uma grande expectativa na Espanha. Desde abril do ano passado, os especialistas analisam os 36 nichos da cripta e algumas das várias sepulturas descobertas no subsolo, em busca dos restos mortais do escritor, considerado um expoente da literatura universal. Documentos históricos indicam que Cervantes foi enterrado no dia 23 de abril de 1616 na igreja do convento das Trinitarias Descalzas.

"São muitas coincidências e nenhuma discordância", declarou entusiasmado o antropólogo forense Francisco Etxeberría, diretor da equipe. O perito espanhol também participou da autópsia do presidente chileno Salvador Allende, morto durante o golpe de estado de Augusto Pinochet, em setembro de 1973.

 
O tempo de conexão expirou.