Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Juliano Salgado diz que ganhar o César foi a realização de um sonho

media "O Sal da Terra" ganhou o César de Melhor Documentário DR

O documentário "O Sal da Terra", que conta a longa trajetória do renomado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e apresenta seu ambicioso projeto "Gênesis", levou o César de Melhor Documentário na sexta-feira (20) e ganhou uma indicação ao Oscar. A produção foi dirigida pelo cineasta alemão Wim Wenders e pelo franco-brasileiro Juliano Salgado, filho do fotógrafo, que deu uma entrevista exclusiva para a RFI em Los Angeles antes da cerimônia do Oscar.

 "O meu pai é um grande profissional, mas o que nos interessava mais era fazer um filme sobre o que ele testemunhou da história recente do mundo nos últimos 40 anos. Ele viajou por vários lugares e presenciou momentos lindos, momentos dramáticos e alguns momentos terríveis. Dessa experiência, ele aprendeu muito sobre a humanidade", disse o cineasta. "Por isso ele tem muito para transmitir. Ele já contava essas coisas para a família, para os amigos, então eu decidi com o Wim (Wenders) que era o momento de dividir todo esse aprendizado com um maior número de pessoas."

Sobre o César,  principal prêmio do cinema francês, ele afirmou que é "algo meio louco". "São sonhos que se concretizam de repente. Aquelas fantasias: um dia o que eu faço vai dar certo e vai chegar a algum lugar. E, de repente, você está ganhando prêmios, sendo indicado ao Oscar. Acho isso muito incrível", declarou.

Mas Juliano diz que mantém os pés no chão. "Os prêmios não mudam muita coisa. Continuo sendo cineasta. Não sou ator nem cantor. O importante é trabalhar, observar o mundo e ter coisas para falar."

Ouça a entrevista de Juliano Salgado, diretor do filme "O Sal da Terra" 23/02/2015 Ouvir

 
O tempo de conexão expirou.