Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Irmãos Coen vão presidir o júri do 68° Festival de Cannes

media Os irmãos Ethan (D) e Joel Coen (E) receberam 138 prêmios ao longo de 30 anos de carreira. wikipédia

Os inseparáveis irmãos Ethan e Joel Coen presidirão o júri da 68ª edição do Festival de cinema de Cannes, que será realizado do dia 13 a 24 de maio. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (20) pela organização do evento. Essa será a primeira vez que esse cargo será ocupado por duas pessoas.

Presença assídua no Festival de Cannes, a dupla recebeu a Palma de Ouro e o prêmio de melhor direção em 1991 por “Barton Fink – Delírios de Hollywood”. Por “Fargo” e “O homem que não estava lá” eles foram eleitos como melhor diretores nas edições de 1996 e 2001 do festival. Em 2013, foi a vez dos Coen serem agraciados com o Grand Prix de Cannes por “Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum”.

Diretores, roteiristas e produtores, Joel, de 60 anos, e Ethan, de 57 anos, vêm consolidando, há 30 anos, uma original carreira no cinema norte-americano. Thrillers e suspenses, com uma pitada de um humor macabro, são os gêneros preferidos da dupla. Mas foi a comédia “O Grande Lebowski” (1998) que tornou os irmãos conhecidos em todo o mundo.

No total, os Coen já conquistaram 138 prêmios. Em Hollywood, levaram quatro Oscars: “Onde os fracos não têm vez”, em 2008, por melhor filme, direção, roteiro adaptado e ator coadjuvante (Javier Bardem). Fargo, em 1997, recebeu o Oscar de melhor roteiro original.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.