Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Museu d’Orsay promove Sade com vídeo ousado

media “Sade, attaquer le soleil”, nova exposição no museu d’Orsay, de Paris que abre nesta terça-feira (14). © Musée d'Orsay / Sophie Boegly

A influência da obra literária do Marquês de Sade sobre artistas a partir do século 19 é o tema de uma nova exposição no museu d’Orsay, de Paris, “Sade, attaquer le soleil”, que abre nesta terça-feira (14). Só o nome do Marquês de Sade é capaz de atiçar a curiosidade, mas o que está chamando também muita atenção é um ousado vídeo de promoção, de menos de um minuto, com dezenas de pessoas nuas, insinuando vários momentos do ato sexual.

Donatien Alphonse François de Sade (1740-1814) foi um escritor, filósofo e político, cuja obra literária foi marcada por um erotismo extremo e violento. Daí o termo “sadismo”, cunhado por um psiquiatra austríaco. O ateísmo virulento também era um tema recorrente em seus livros.

A mostra no museu d’Orsay reúne obras de artistas como Delacroix, Rodin, Degas, Cézanne, Picasso, Francis Bancon, Odile Redon, Man Ray e muitos outros. “O elo que ele faz entre desejo e ferocidade, que, a seus olhos é inerente ao homem, é algo que atormenta muito a pintura”, explica Annie Le Brun, curadora da exposição.

Orgias

O vídeo de promoção da mostra é assinado pelos artistas videastas David Freymond e Florent Michel. Em menos de um minuto, dezenas de homens e mulheres nus se movem em uma coreografia de entrelaçamentos, contatos e insinuações. “Nada obsceno, muito bonito e estético, como um quadro de Renoir, de Courbet, de Rodin”, diz o jornal Le Monde. Confira o vídeo:

 

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.