Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Poesias inéditas de Pablo Neruda serão publicadas neste ano

media Pablo Neruda, em 18 de janeiro de 1952, ao chegar em Capri, na Itália. Keystone/Getty Images

Por ocasião do 110° aniversário do nascimento do chileno Pablo Neruda, mais de 20 poesias inéditas do poeta serão lançadas neste ano. A informação foi divulgada pela editora Seix Barral, de Barcelona. Neruda, prêmio Nobel de Literatura, morreu em 1973.

Os poemas foram encontrados dentro de caixas com os manuscritos de suas obras durante uma revisão dos arquivos da Fundação Pablo Neruda. Os textos foram escritos depois da publicação de "Canto Geral", em 1950, na fase de maturidade do poeta. Em um comunicado, a editora de Barcelona explica que algumas poesis “de qualidade extraordinária” não haviam sido incluídas em obras correspondentes a cada caixa.

Além de poeta e escritor, Pablo Neruda, nascido Ricardo Eliecer Neftalí Reyes Basoalto, foi diplomata e homem político. Ele foi o segundo chileno a ganhar o Nobel de Literatura, prêmio antes outorgado a Gabriela Mistral, em 1945.

A publicação das obras inéditas está prevista para o final de 2014 na América Latina e início de 2015 na Espanha, para coincidir com o 110º aniversário de seu nascimento e os 90 anos do lançamento de sua obra mais conhecida, "Vinte poemas de amor e uma canção desesperada".

Apenas duas obras inéditas do Nobel de Literatura de 1971 foram lançados anteriormente: “O Rio Invisível”, em 1980, e “Cadernos de Temuco”, de 1996.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.