Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Copa aumenta interesse dos franceses em conhecer Brasil através de livros

media Literatura brasileira faz sucesso nas livrarias francesas. Flickr/Creative Commons

Assim com em outros países, a Copa do Mundo de futebol desperta o interesse de muitos franceses pelo Brasil. Além das reportagens quase diárias na imprensa, o país está presente nas livrarias francesas que foram invadidas por dezenas de livros de autores brasileiros. No entanto, a maioria das publicações não trata do futebol. Romances, diários de viagem e livros de fotografia estão entre as opções para satisfazer a curiosidade dos franceses sobre o Brasil e seu povo.

Com colaboração de Charlotte Derouin

O autor mais conhecido e que fez mais sucesso na França é Machado de Assis. Nesse ano, algumas reedições dos clássicos brasileiros foram lançadas, como "Vidas Secas" (Vie Aride, na tradução em francês), de Graciliano Ramos, que é a história de uma família nordestina que foge da seca.

"Uma obra muito procurada", diz Michel Chandaigne, dono da livraria Portugaise, em Paris, dedicada aos países de língua portuguesa. "É realmente uma obra-prima, que foi editada há quarenta anos. A nova tradução é muito melhor, realmente este é um livro que faz parte dos cincos grandes livros brasileiros”, avalia.

Os livros de Edney Silvestre,  "Se fecho os olhos" (Si je ferme les yeux, na tradução em francês) e  "A felicidade é fácil" (Le bonheur est facile, na tradução em francês), foram as grandes surpresas deste início do ano, afirma Michel Chandaigne: “há um grande interesse pelos romances policiais. Mas não só por este gênero, mas também por romances políticos e psicológicos. É uma novidade na França porque Edney Silvestre nunca foi traduzido. São dois livros que eu acho muito interessante de descobrir”.

Copa do mundo

Com a proximidade da Copa, os livros sobre o futebol se multiplicaram, confirma Chandaigne. Ele cita o exemplo de "Le football au Brésil" (O futebol no Brasil, em português), uma antologia sobre o esporte da editora Ana Caona, que já fez muitos livros sobre a literatura marginal. "É um pequeno livro muito interessante com textos de grandes autores. São 11 histórias de uma paixão, uma obra muito bem feita”, garante.

A menos de um mês do jogo de abertura, a livraria L’Écailler organizou uma noite especial “Copa do Mundo”, que reuniu vários autores de livros que abordam a temática do futebol. Entre eles está uma biografia não autorizada do craque português Cristiano Ronaldo, dos jornalistas Antoine Grynbaum e Marco Martins.

Em "Cristiano Ronaldo, Gloire, Orgueil et Préjugé" (Cristiano Ronaldo, Glória, Orgulho e Preconceito, em tradução livre), Martins e Grynbaum apresentam um retrato do jogador que é o atual Bola de Ouro da Fifa, através de testemunhos dos familiares.

Outro jornalista, Pierre-Etienne Minonzio, se interessou pelas relações entre música e futebol e lançou "Petit Manuel Musical du Football" (Pequeno Manual Musical do Futebol, em tradução livre). O autor faz referência a diversas canções que falam do esporte mais popular do planeta, entre elas a música “Meio de Campo” de Gilberto Gil, que é uma homenagem ao jogador Afonsinho.

Apaixonados pelo Brasil

Uma série de livros escritos por autores apaixonados pelo Brasil estão fazendo sucesso, conta Michel Chandaigne. Entre eles o livro do escritor Patrick Straumann, "La Meilleure Part, Voyage au Brésil" (A melhor Parte, Viagem ao Brasil, em tradução livre), que é uma viajem literária por várias regiões do país e o "Pepites Brésiliennes" (Pepitas brasileiras, em tradução livre) de Jean-Yves Loude, um etnólogo que viajou por todos os países lusófonos. Depois de escrever sobre Cabo Verde e Lisboa, o especialista fez uma travessia do Brasil e relata seus vários encontros com personalidades famosas e anônimas. "É um livro de grande qualidade”, estima Chandaigne.

Demanda crescente

A demanda de livros sobre o Brasil cresceu na França nos últimos anos, um aumento atribuído também ao desenvolvimento econômico do país. Muitos franceses estão indo para o Brasil para viajar a turismo ou para trabalhar. O fenômeno é observado por Chandaigne: “cada vez mais os franceses querem conhecer o Brasil através dos guias de viagens , mas também através da literatura”.

Os editores estão se preparando para o ano que vem. Em 2015, o Brasil vai ser o país homenageado do Salão do Livro de Paris, um dos maiores eventos literários do mundo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.