Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Avignon é vitrine para pequenas companhias de teatro

media Companhia de teatro independente fazendo promoção de seus espetáculos nas ruas de Avignon RFI

O festival de Avignon é uma vitrine imperdível para pequenas companhias de teatro na França. Os programadores dos teatros de toda a França estão presentes em Avignon para escolher as peças que entrarão em cartaz na próxima temporada. O circuito independente do festival, chamado de « Avignon Off », conta com 1066 companhias que apresentam até 31 de julho, 1258 espetáculos para um público estimado em 1 milhão de espectadores.

Maior festival do gênero no mundo, o Festival de Avignon é um espaço privilegiado para a criação contemporânea de vanguarda. Os diretores de teatro mais em voga no cenário europeu apresentam grandes e ousadas produções na programação oficial chamada de « Avignon In », cujo orçamento esse ano é de 12,7 milhões de euros (36 milhões de reais). E isso é possível graças a um importante financiamento estatal.

Para as pequenas companhias de teatro a coisa é bem diferente. A fim de participar da « vitrine » que representa esse festival, elas investem suas magras economias para alugar um local, a preço de ouro durante o festival. E muitas vezes, as apresentações são feitas em garagens ou fundos de quintal improvisados em teatros.

E com o sucesso do festival, a inflação no preço do aluguel de uma sala, digna desse nome, é flagrante : uma jovem companhia tem que investir no mínimo 20 mil euros (58 mil reais) só de aluguel durante cerca de um mês, sem contar os custos de promoção do espetáculo.

Mas tudo vale para se ter um lugar ao sol nesse festival, pois caso contrário, as chances de se obter um contrato para a temporada teatral seguinte são muito menores. Com espetáculos que começam a partir das 11h da manhã e sessões varando a madrugada, a briga é de foice para conquistar os programadores teatrais e o público.

Extravagâncias

É essa efervescência que sentimos nas ruas de Avignon onde vemos as cenas mais extravagantes. Atores vestidos com roupas de reis e rainhas, enfrentando temperaturas que beiram os 40 graus nessa época do ano na região, carros alegóricos, grupos encenando trechos de peças e cantorias bem-humoradas.

Todos os gêneros teatrais, além de dança, música e circo, estão presentes na programação do Avignon Off: das mais variadas versões da dramaturgia clássica, de Shakesperare à Molière, passando pelo teatro dirigido ao público jovem ou pelas criações contemporâneas. O festival tem se transformado também num trampolim para jovens cômicos com seus « one man shows».

Com essa profusão de estilos e espetáculos é bem difícil para um espectador desavisado fazer a triagem do que é realmente de qualidade. Ele corre o risco de ver um «cantor de chuveiro» ou um ator ou atriz de fins de semana…Mas o charme do festival está também nesse ecletismo que dá ao aficionado de teatro a possibilidade de encontrar o espetáculo surpreendente, que ele não veria em nenhum outro lugar do mundo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.