Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Radicais católicos atrapalham peça em Paris

media Cartaz do polêmico espetáculo 'Sur le concept du visage du fils de Dieu', em cartaz em Paris. DR/Klaus Lefebvre

Uma peça que coloca um confronto entre pai e filho diante da decadência do tempo, sob um retrato gigante de um Cristo, vem causando polêmica em Paris. Um grupo de católicos radicais tem atrapalhado as sessões do espetáculo. O ministério da Cultura condenou as ações.

A peça “Sobre o conceito do rosto do filho de Deus”, de Romeo Castelluci, estreou na quinta-feira. Os integristas distribuíram panfletos na entrada e interromperam o espetáculo, subindo ao palco, com canções e cartazes denunciando a “cristianofobia”. Os manifestantes foram retirados do recinto pela polícia e a representação pôde prosseguir. No sábado, os radicais usaram óleo e ovos para jogar contra o público na entrada do teatro.

A prefeitura de Paris e o Théâtre de la Ville decidiram processar conjuntamente o Institut Civitas, grupo que na Internet se descreve como “um movimento cujo objetivo é a restauração da realeza social de Nosso Senhor Jesus Cristo”, por “atos de degradação do espaço público” e “ataque à liberdade de criação e da expressão artística”.

Segundo Michael Chase, do Théâtre de la Ville, diz que há cenas que podem ser chocantes, “mas que não são de forma alguma ataques contra a religião”. A peça foi apresentada no festival de teatro de Avignon, na França, e já foi representada na Rússia, Bélgica, Holanda, Alemanha, Itália e Grécia, sem qualquer incidente desse gênero, declarou Chase. Ela fica em cartaz em Paris até o dia 30 de outubro.

"Eu os perdoo porque eles não sabem o que fazem", retrucou espirituosamente o dramaturgo italiano Castellucci. "Eles nem sabem que o espetáculo tem conteúdo espiritual e cristão", acrescentou o autor.

 

 

 
O tempo de conexão expirou.