Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 17/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 17/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 17/12 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Cultura

Em Cannes, Sean Penn impressiona como ex-rock star caçador de nazista

media Sean Penn no papel de Cheyenne, um roqueiro que vai se confrontar com o passado. DR

O bom cinema disse presente nesta manhã no Festival de Cannes com a projeção, em competição, do último longa de um dos grandes nomes do cinema italiano atual, Paolo Sorrentino. O personagem do roqueiro aposentado foi escrito especialmente para o ator americano, que fazia parte do júri do festival em 2008, quando Sorrentino ficou com o Prêmio do Júri por "Il Divo".

"This Must Be The Place", título de uma música dos Talking Heads, é o nome que o diretor Paolo Sorrentino escolheu para o seu filme.

Sean Penn interpreta um velho rock star, Cheyenne, de família judia, cuja vida monótona vai se transformar com a morte do pai. Ele viaja pela América em busca do nazista que levou seu pai ao campo de concentração e acaba descobrindo que a obsessão paterna pelo homem não era o trauma de Auschwitz, mas sim uma humilhação sofrida na juventude.

Além do carisma de Sean Penn, que construiu com seu talento habitual um personagem aparentemente frágil e excêntrico, o filme também conta com a participação do músico David Byrne, ex-líder dos Talking Heads.

Drive!

Ryan Gosling interpreta o motorista de "Drive". DR

O segundo aspirante à Palma de Ouro é "Drive", do dinamarquês Nicolas Winding Refn, em sua primeira participação no Festival.

Em cena, um profissional de cascadas no cinema (Ryan Gosling), tranquilo e com uma vida aparentemente normal que, à noite, se transforma em motorista para a máfia. Mas, um dia, uma operação dos mafiosos dá errado e termina mal, desencadeando uma perseguição infernal, com vingança como pano de fundo. O ritmo é intenso, porém, marcado por uma emoção contida.

Um Certo Olhar

Três filmes serão projetados na mostra paralela "Um Certo Olhar", nesta sexta-feira.

O diretor russo Bakur Bakuradze estreia em Cannes com "Okhotnik, O Caçador", que conta a história de Ivan Dounaev, um fazendeiro trabalhador, casado e com filhos, que vê sua vida mudar com a chegada de duas mulheres à fazenda, Liouba e Raïa, detentas da colônia penitenciária vizinha à sua propriedade.

Cena de "The Murderer", sobre o desespero de um homem endividado.

"The Murderer", do sul-coreano Na Hong-Jin, fala do drama de um homem à beira da miséria, que aceita umum contrato para matar uma pessoa para pagar suas dívidas e continuar a sustentar a família. Ele desconhece sua vítima e não imagina a engrenagem criminosa em que está se envolvendo.

O terceiro longa da mostra é "Oslo, 31 de Agosto", do norueguês Joachim Trier, um olhar sobre o difícil processo de reconstrução de um homem que está terminando uma cura de desintoxicação. Em uma autorização de 24 horas para ir à cidade mais próxima, o personagem se confronta aos erros do passado e à possibilidade de semear um futuro até o dia amanhecer.

 

 

 

 

 
O tempo de conexão expirou.