Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Documentário sobre pescadores cearenses causa polêmica

Documentário sobre pescadores cearenses causa polêmica
 
Cena do filme "Uma Semana em Parajuru", de José Huerta. Divulgação

Um documentário francês sobre um vilarejo de pescadores no litoral do Ceará tem causado polêmica entre os habitantes do local e chegou a ser motivo de processos na Justiça. Um caso que alimenta o debate sobre a liberdade de expressão. O filme em questão é "Uma Semana em Parajuru", do documentarista espanhol José Huerta. A produção contou com recursos do Ministério da Cultura da França e foi exibida pela televisão pública francesa. No Brasil, participou do Festival do Rio e do Festival de cinema do Mercosul, em Florianópolis. A polêmica surgiu porque o fime questiona as intenções de um grupo de empreendedores austríacos que se instalou recentemente em Parajuru e criou um projeto social. A presença dos austríacos divide a comunidade: alguns moradores pensam que eles trazem trabalho e prosperidade, outros temem a especulação imobiliária, o turismo de massa e a destruição de um modo de vida tradicional. Ouça neste programa entrevistas com o diretor José Huerta e com a empresária austríaca Gisela Wisniewski.

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.