Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 13/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 13/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Feira tecnológica de Paris mostra inovações na área de turismo

media O Sombox é um pequeno quarto para descansar em aeroportos Divulgação

As inovações tecnológicas ligadas ao turismo ganharam espaço próprio na feira Viva Technology, que terminou no sábado (17) no centro de convenções Porte de Versailles, em Paris. Foi o Hospitality Lab, do grupo hoteleiro Accor, que reuniu 32 start-ups com projetos criativos e inovadores para o setor.

“O objetivo é que eles possam encontrar pessoas do nosso grupo, para desenvolver projetos conjuntos, mas também outras empresas e jornalistas, para crescer e aprender”, disse à RFI Brasil Laurence Bodry, diretora de comunicação estratégica da Accor

“A inovação está em todas as áreas na Accor. Temos mais de 4 mil hotéis pelo mundo em 95 países. Temos 260 mil colaboradores. Um número que me impressiona é que abrimos um hotel a cada 36 dias. Com essa grande atividade, devemos sempre estar atentos ao mercado, às tendências e a como podemos nos abrir a novas caras”, afirma.

Yann Buet, presidente da Sombox Augusto Pinheiro/RFI

Entre esses projetos está um miniquarto, da start up Sombox, para as pessoas descansarem em aeroportos, estações de trem e rodoviárias e pontos de apoio nas rodovias. “Ele tem 2m² e dá a possibilidade de a pessoa repousar a partir de 30 minutos até várias horas em um ambiente seguro, confortável, com uma grande cama de solteiro, de 80 cm x 2 metros”, explica Yann Buet, presidente da empresa e inventor do produto.

O ambiente conta ainda com um simulador da aurora, do crepúsculo e de um céu estrelado, que pode ser configurado pelo usuário. “Temos ainda luminoterapia, aromaterapia e musicoterapia para acompanhar o sono do cliente, para que ele se sinta verdadeiramente bem.”

A novidade, que conta também com wifi e tomadas, começamos agora a ser comercializada e já fechou contrato com uma empresa petroleira francesa, para ser instalada em seus pontos de apoio. “Também estamos realizando contatos com aeroportos e estações de trem. Passamos em média 1 hora e 45 minutos nos aeroportos, e nosso produto atende uma necessidade fisiológica primária, que é descansar. ”

Encontros no mesmo hotel

Outra inovação no mundo das viagens foi criada pelo casal Hélène e Rodolphe Bégard, o aplicativo Wombee, “uma rede social para os viajantes". “Permite que as pessoas entrem em contato com outras que estão hospedadas no mesmo estabelecimento”, explica Hélène.

Rodolphe e Hélène Bégard lançaram o Wombee Augusto Pinheiro/RFI

O usuário deve apenas baixar o aplicativo e preencher um perfil. “Trabalhos com geolocalização, então é possível saber quem está presente no mesmo período que você no hotel ou albergue. Serve para conversar, trocar, compartilhar, facilitar os encontros. Também para atividades, como encontrar um parceiro de tênis ou uma companhia para visitar a cidade”, diz a empresária.

“Pensamos também nas famílias com filhos, às vezes é agradável encontrar outra família para compartilhar as atividades e nos profissionais que viajam muito e que frequentemente estão sozinhos. Queríamos parar de impor a solidão e o anonimato. No Wombee, o viajante sabe que vai encontrar pessoas abertas, que estão no mesmo estado de espírito, que gostam de se encontrar e de enriquecer suas experiências. ”

No mercado há 2 anos, o Wombee acaba de ganhar a segunda versão, que amplia suas fronteiras para todo o mundo – até então o aplicativo era restrito à França.

Webcam do futuro

Já a Skaping criou “um produto que revoluciona o conceito de webcam”, segundo Patricio Fernandes, desenvolvedor de negócios da empresa. Todos conhecemos a webcam tradicional, que encontramos nas estações de esqui, com uma imagem das paisagens”, explica.

Patricio Fernandes: webcam do futuro Augusto Pinheiro/RFI

“Propomos ao internauta uma qualidade de imagem em resolução 4K, com mais detalhes, e a possibilidade de fazer zoom, de ver a imagem panorâmica ou em 360 graus.”

A câmera também pode realizar vídeos em alta definição. A ideia é que seja usada pelos sites das cidades para atrair mais tráfego. “A seção webcam de um site é responsável por 60% das visitas”, diz Fernandes.

O produto já está em uso por várias prefeituras de cidades da região dos Alpes franceses, já que a sede da empresa fica em Grenoble, nessa mesma zona. A ideia é, no futuro, "atacar" os mercados de Itália, Espanha e Portugal.

Hotéis e músicos

Os jovens Martin Zdrzalik e Filip langiewicz criaram o site Likaband, uma base de dados de músicos e DJs que pode ser usada por bares, hotéis, restaurantes ou festivais para contratá-los.

Martin Zdrzalik e Filip langiewicz: criadores do Linkaband Augusto Pinheiro/RFI

"Qualquer músico pode criar um perfil no site. A ideia é que ele seja aberto para todos. Queremos ter a diversidade de estilos. Eles criam um CV no site, com suas músicas, seus vídeos, fotos. A ideia é dar uma imagem, de maneira dinâmica, ao gerente do hotel do que o artista faz e dar vontade de chamá-lo para um show”, explica Zdrzalik.

O site, que foi lançado há cinco meses em Paris, já tem 600 artistas inscritos e cerca de 300 estabelecimentos que usam seus serviços. “Estamos surpresos com a evolução do projeto. Na quarta-feira que vem é a Festa da Música. Cerca de 50 shows foram organizados a partir do nosso site. O salão Viva Tech nos deu uma visibilidade enorme, e ganhamos o prêmio de inovação da Accor”, completa langiewicz.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.