Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Confirmado novo caso fatal de ebola em Serra Leoa

media OMS confirma novo caso fatal de ebola em Serra Leoa. KENZO TRIBOUILLARD / AFP

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou nesta sexta-feira (15) uma nova morte provocada pelo vírus ebola em Serra Leoa, um dia depois de declarar o fim da epidemia no oeste da África.

Todas as medidas foram tomadas para tentar circunscrever a propagação e identificar as pessoas que estiveram em contato com a vítima, uma mulher de 22 anos que ficou doente em uma localidade próxima à fronteira com a Guiné e que morreu há três dias. A família foi colocada em isolamento, assegurou à imprensa, em Freetown, um porta-voz do departamento nacional de segurança.

Além de responsáveis sanitários nacionais, integrantes da OMS e de centros americanos de controle e prevenção de doenças fazem parte da equipe de alto nível enviada em urgência para o norte de Serra Leoa.

O fim da epidemia em Serra Leoa foi declarado no dia 7 de novembro. Em seguida, foi a vez da Guiné, no dia 20 de dezembro. A Libéria foi declarada livre da doença ontem, após serem observados 42 dias – dobro de tempo máximo de incubação do vírus – sem nenhum novo caso após o segundo teste negativo no último paciente.

OMS havia alertado sobre possíveis novos focos

Mas o organismo havia advertido para a possibilidade do risco de novos focos em 2016, pois o vírus do ebola pode continuar presente em alguns fluidos corporais dos sobreviventes, como o sêmen, por exemplo, por até um ano.

A epidemia de ebola teve início em dezembro de 2013 na Guiné, de onde se propagou para Libéria e Serra Leoa, países de fronteira, antes de afetar nos dois anos seguintes uma dezena de países, incluindo Espanha e Estados Unidos, provocando um total de 11.315 mortes.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.