Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Quadrigêmeos de mãe sexagenária recebem alta na Alemanha

media Annegret Raunigk teve quadro bebês aos 65 anos. Reprodução da TV alemã.

Três meses depois de seu nascimento, os quadrigêmeos prematuros cuja mãe tem 65 anos deixaram o hospital e já estão em casa, informou o hospital nesta quinta-feira (20). Os três meninos, Dries, Fjonn e Bence, bem como sua irmã Neeta, pesavam apenas entre 655 e 960 gramas no nascimento, em 19 de maio. Atualmente, os quatro pesam mais do que 2,5 kg cada.

"Quando bebês prematuros se aproximam da data do parto inicialmente prevista, então é hora de deixar o hospital", declarou o chefe de neonatologia do Hospital de Caridade de Berlim, Christoph Bührer, à agência AFP, afirmando que "muitas vezes eles voltam para casa antes desta data".

Sua mãe, Annegret Raunigk, recorreu à fertilização in vitro na Ucrânia e deu à luz a quadrigêmeos por cesariana depois de apenas 26 semanas de gravidez. Segundo o professor Wolfgang Heinrich, diretor de obstetrícia do hospital, é um "caso único no mundo".

Caso raro

Esta professora aposentada já era mãe de 13 filhos concebidos com cinco pais diferentes, e tem sete netos. O canal de televisão RTL acompanhou esta gravidez rara como se fosse uma novela, obtendo entrevistas exclusivas e imagens da mãe e seus bebês. O montante do contrato assinado com a empresa não foi divulgado.

Este caso extraordinário provocou um intenso debate na Alemanha, onde muitas pessoas censuraram a falta de responsabilidade da mãe. Em abril, Raunigk rechaçou as críticas dizendo que é direito de cada um decidir o momento de procriar. "As crianças me mantém jovem", argumentou.

(Informações da AFP)
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.