Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Solar Impulse bate recorde de voo sem escalas em travessia do oceano Pacífico

media O avião Solar Impulse está no meio do caminho entre o Japão e o Havai . REUTERS/Kyodo

O revolucionário avião Solar Impulse 2 está no meio do caminho entre o Japão e o Havaí e já bateu seu próprio recorde de voo sem escalas nesta quarta-feira (1). O aparelho, movido exclusivamente a energia solar,  decolou de Nagoia no domingo (28) e sobrevoa o Oceano Pacífico há mais de dois dias e duas noites.

As mais de 60 horas do voo solitário e sem escalas do piloto suíço André Borschberg já representam uma marca inédita. O piloto tem que percorrer ainda mais de 4 mil quilômetros na pequena cabine de comando do Solar Impulse para chegar ao destino.

Os organizadores estão otimistas, pois o aparelho superou hoje uma barreira de nuvens provocada por uma frente fria, considerada um dos principais obstáculos da travessia. Superar a frente fria foi "um momento muito emocionante", escreveu no Twitter Bertrand Piccard, coautor do projeto e o segundo piloto da aeronave, em revezamento com Borschberg.

Façanha

Este terceiro dia do voo sem escalas comprova que "um avião pode voar sem interrupção produzindo sua própria energia", comemorou Bertrand Piccard. A travessia do Pacífico é um salto no desconhecido. Até o Japão, o Solar Impulse 2 - que tem as asas cobertas por células fotovoltaicas -, podia aterrissar no aeroporto mais próximo, em caso de problema. Mas até chegar ao Havaí, provavelmente na próxima sexta-feira (3), não terá nenhum lugar onde pousar.

André Borschberg contou, em uma mensagem de vídeo difundida na internet, que "está em excelente forma". "A noite foi difícil, mas fantástica", informou o piloto de 62 anos.

O Solar Impulse ficou mais de um mês bloqueado no Japão, devido ao mau tempo. O avião começou sua aventura em 9 de março, em Abu Dhabi. A meta é dar a volta ao mundo e percorrer ao todo 35 mil quilômetros para promover o uso de energias renováveis, principalmente a energia solar.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.