Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Homem que assiste muita televisão tem esperma mais fraco, afirma estudo

media Pesquisadores associam a baixa qualidade do esperma ao tempo passando diante da televisão. REUTERS/Cris Toala Olivares

Um estudo realizado pela Harvard School of Public Health afirma que os homens que passam mais de 20 horas por semana em frente à televisão tem uma qualidade de esperma inferior aos demais. Já a prática de exercício físico é apontada como um elemento positivo para a produção de espermatozóides.

Os pesquisadores norte-americanos analisaram amostras de esperma de 189 homens, entre 18 e 22 anos, e completaram o estudo com questões sobre o modo de vida de cada um, como a prática de exercícios físicos, a alimentação e as formas de lazer. Os cientistas da Harvard School of Public Health de Boston constataram que o grupo que passava mais de 20 horas semanais assistindo televisão tinha uma concentração de espermatozóides 44% menor que o grupo que passava menos tempo diante da telinha.

Já a prática de exercícios físicos parece obter um efeito contrário, segundo um outro estudo do British Journal of Sports Medicine. A pesquisa afirma que os homens que dedicam pelo menos 15 horas por semana a um exercício tem uma concentração de sêmen 73% superior àqueles que se exercitam menos de cinco horas por semana. No entanto, em ambas as análises, a concentração de espermatozóides é suficiente para garantir a reprodução.

A comunidade científica vem notando há décadas a queda da qualidade do esperma nos países desenvolvidos, mas poucos foram os estudos que conseguiram identificar as causas desse fenômeno. O modo de vida sedentário dessas populações é frequentemente apontado como uma das razões possíveis.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.