Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Idade avançada do pai pode causar esquizofrenia e autismo no bebê

media Quanto mais velho for o homem ou a mulher em um casal, maiores as chances de o feto desenvolver problemas de saúde. DR

Cientistas islandeses publicaram um estudo em que comprovam que filhos de homens mais velhos têm maior probabilidade de sofrerem de doenças graves do que de homens jovens. Os principais problemas verificados em descendentes de pais mais velhos são autismo, esquizofrenia e má-formação.

O estudo foi publicado nesta quarta-feira na revista científica britânica Nature, e afirma que quanto mais velho for o progenitor, mais os genomas que transmite aos filhos possuem mutações espontâneas, inclusive algumas que provocam o autismo e a esquizofrenia. Cada ano a mais do pai na concepção do feto gera cerca de duas mutaçõe espontâneas no bebê, de acordo com Kari Stefansson, um dos autores da pesquisa feita com o genoma completo de 78 crianças portadoras de autismo e esquizofrenia e de seus pais e mães.

As mutações espontâneas aparecem no ser humano quando nenhum dos genitores lhes possui em seu patrimônio genético. Elas não são necessariamente maléficas, afinal são uma das principais fontes de diversidade genética, que propicia a evolução. Mas podem gerar diversas doenças ou más-formações congênitas.

Estudos epidemiológicos feitos anteriormente demonstravam uma ligação estatística entre a idade do pai e o aumento dos casos de austismo. Porém esta pesquisa acrescenta um fator importante: reúne todos os fatos conhecidos até hoje e os dimensiona na ocorrência dos problemas de saúde no bebê.

A conclusão é que o genoma de um recém-nascido tem em média 60 mutações espontâneas, entre elas 15 transmitidas pela mãe e o restante, pelo pai, de acordo com a sua idade (25 mutações em um homem de 20 anos e 65 em um com o dobro da idade). “Ficamos surpresos ao descobrir que a idade do pai era tão importante, responsável por 97,1% das novas mutações espontâneas em um casal”, explicou Stefansson.

A idade da mãe não influencia as mutações espontâneas porque, ao contrário dos espermatozóides, produzidos ao longo de toda a vida do homem, os ovários femininos são os idênticos desde o nascimento da mulher. “Ao contrário do que muitos pensam, o aumento da idade da procriação não é um problema menor para os homens do que é para as mulheres”, esclareceu o cientista.

A ocorrência de autismo – que se caracteriza por uma dificuldade anormal em se relacionar com as pessoas – está em forte elevação na maioria dos países desenvolvidos.
 

 
O tempo de conexão expirou.