Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Maestro Jorge Antunes tem estreia europeia de sua ópera Olga

Maestro Jorge Antunes tem estreia europeia de sua ópera Olga
 
O Maestro Jorge Antunes RFI

O maestro e compositor Jorge Antunes teve estreia europeia da sua ópera Olga, de 2006. Três apresentações ocorreram na Polônia, na Ópera Baltycka, de Gdansk, e outras cinco estão previstas até março.

Antunes, considerado o pai da música eletrônica no Brasil, nos anos 1960, também passa por Paris, onde participa do Festival En Chair et En Son, em Issy-Les-Moulineaux, ao sul da capital. O artista traz uma obra inédita, possível graças à proposta inusitada do evento: músicos e dançarinos que não se conheciam “se escolhem” e realizam uma performance conjunta, efêmera.

Na viagem, o maestro ainda recebeu uma boa notícia: ganhou o prêmio Icatu des Arts 2020, da Cité des Arts, da capital francesa, onde pretende finalizar sua nova ópera, sobre a história da imperatriz Leopoldina. A expectativa é de que o projeto possa estrear em 2022, durante as comemorações do bicentenário da independência do Brasil.

“É uma figura importantíssima da independência do Brasil. Os historiadores são unânimes em dizer que José Bonifácio e ela foram os grandes mentores da independência e fizeram a cabeça de Dom Pedro I, que era muito doido, mulherengo e desorganizado”, conta Antunes.

Política é “preocupação permanente”

A ópera Olga também homenageia outra figura feminina, Olga Benário. O trabalho de Antunes é permeado por influências políticas, como na composição da Sinfonia dos Direitos, de 2017. A obra incluía buzinas, se opunha às reformas do ex-presidente Michel Temer e pedia a realização de novas eleições.

Agora, ele diz não ter um novo projeto específico que envolva a política – mas comenta que, de alguma forma, seus posicionamentos acabam aparecendo no seu trabalho.

“É permanente, essa minha preocupação. É muito difícil ficar alheio desse momento que o Brasil e o mundo vivem”, afirma. “Isso é algo permanente na minha cabeça e é difícil fazer música pura, para mim".

Confira abaixo a íntegra da entrevista em vídeo


Sobre o mesmo assunto

  • RFI CONVIDA

    Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

    Saiba mais

  • Brasil-Mundo

    Músico brasileiro vira celebridade em Israel depois de participar de reality show

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    “Sou nômade e híbrida”, diz cantora e artista visual Lica Cecato

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Banda Natiruts lota casa de shows em Paris com 'I love', "ampliando raízes" do reggae

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.