Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Paraty e Ilha Grande entram na lista do Patrimônio Mundial da Unesco

media Paraty, com seu centro histórico, mas também Ilha Grande, entraram para a lista do Patrimônio Mundial da Unesco Flickr/ Creative Commons

A cidade colonial de Paraty e a vizinha Ilha Grande, localizadas ao sul do Rio de Janeiro, foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A decisão foi anunciada pela instituição nesta sexta-feira (5) em Baku, capital do Azerbaijão.

A escolha do sítio brasileiro foi decidida durante a 43ª reunião do Comitê do Patrimônio Mundial, que é realizada até a quarta-feira (10), em Baku. Paraty e Ilha grande entraram para a lista por sua mistura única de riquezas históricas e naturais.

A área reconhecida abrange 149 mil hectares e inclui o centro histórico da cidade de Paraty (fundada em 1667 e declarada patrimônio histórico no Brasil em 1958), quatro reservas naturais ao redor, incluindo a Serra de Bocaina – cujo pico máximo atinge 2.088 metros de altitude – e a paradisíaca Ilha Grande, uma grande atração turística da chamada "Costa Verde" carioca. O governo brasileiro concentrou sua candidatura na coexistência de culturas locais – indígenas, quilombolas (descendentes de negros escravizados) e comunidades costeiras de pescadores e artesãos – com a rica biodiversidade.

Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), 85% da Mata Atlântica – um bioma que se estende por toda a costa brasileira – é preservada nessa área. A candidatura listou 36 espécies de plantas consideradas raras, sendo 29 endêmicas, ou seja, exclusivas daquele território.

Espécies ameaçadas, como a onça-pintada, a anta, ou o macaco muriqui, principal primata da América do Sul, vivem nesta região, que também concentra 45% das aves e 34% dos sapos que vivem nas florestas atlânticas do Brasil. O ambiente da área reconhecida pela Unesco também inclui uma imensa baía com 187 ilhas revestidas de vegetação nativa e uma rica diversidade marinha, que, apesar de não fazer parte do principal núcleo de proteção, terá regras para restringir a atividade humana e evitar o impacto no meio ambiente.

Título pode ajudar em melhoria de saneamento básico

Trata-se do primeiro lugar misto (patrimônio cultural e natural) do Brasil, que conta agora com 22 localidades na lista de sítios reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Das 1.092 propriedades inscritas na Lista do Patrimônio Mundial, apenas 38 são mistas.

Entre os tesouros históricos de Paraty e da Ilha Grande, está um trecho da Estrada Real, construída por escravos entre os séculos XVII e XIX, por onde transportavam os metais preciosos extraídos no interior de Minas Gerais até o porto de Paraty, destinados a Portugal. Antigas fazendas, fortificações, adegas de cachaça e sítios arqueológicos fazem parte do circuito histórico.

A cidade, de cerca de 37.000 habitantes, recebe anualmente a Feira Literária Internacional (Flip) e outros eventos culturais. Segundo as autoridades locais, o reconhecimento servirá para melhorias estruturais, como o sistema de saneamento, que ainda é precário. Tradicionalmente o título faz com que os projetos de infraestrutura passem a ser tratados como prioridade.

É a segunda vez que o Brasil indica Paraty como candidata ao Patrimônio Histórico da Humanidade. A vez anterior, sem sucesso, foi em 2009.

O Brasil já tem os seguintes 21 sítios inscritos nas listas do Patrimônio Mundial da Unesco:

Patrimônio Cultural Mundial

  1. Brasília
  2. Centro histórico de Salvador
  3. Centro histórico de São Luiz
  4. Centro histórico de Diamantina
  5. Centro histórico de Goiás Velho
  6. Centro histórico de Olinda
  7. Centro histórico de Ouro Preto
  8. Missões Jesuíticas dos Guaranis
  9. Conjunto Moderno da Pampulha
  10. Rio de Janeiro: Paisagens cariocas entre a montanha e o mar
  11. Santuário de Bom Jesus de Congonhas
  12. Praça de São Francisco na cidade de São Cristóvão
  13. Parque Nacional da Serra da Capivara
  14. Sítio arqueológico do Cais do Valongo

Patrimônio Natural Mundial

  1. Reserva da Mata Atlântica
  2. Ilhas atlânticas de Fernando de Noronha e Atol das Rocas
  3. Complexo de Conservação da Amazônia Central
  4. Parque Nacional do Iguaçu
  5. Áreas Protegidas do Cerrado: Chapada dos Veadeiros e Parque Nacional das Emas
  6. Área de conservação do Pantanal
  7. Reservas florestais da Costa do Descobrimento

(Com informações da AFP)

 
O tempo de conexão expirou.