Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

"Jantar do Ano" leva Floresta Amazônica e sabores brasileiros a Lisboa

 
Os chefs brasileiros Thiago Castanho (esquerda) e Henrique Fogaça. Divulgação

Um jantar onde o exótico e o tropical são os ingredientes principais e a Floresta Amazônica é a fonte de inspiração para chefs estrelados e renomados. Em Lisboa, o “Jantar do Ano”, que está na terceira edição, ocorre neste sábado (4), com pratos assinados por Thiago Castanho e Henrique Fogaça, dois chefs brasileiros que se juntam a célebres personalidades da gastronomia portuguesa como Vítor Sobral, Henrique Sá Pessoa, João Rodrigues e Justa Nobre.

Luciana Quaresma, correspondente da RFI em Lisboa

A relação histórica entre Brasil e Portugal vai estar ainda mais evidente com a conexão entre Thiago Castanho e um dos ícones da gastronomia portuguesa, Vítor Sobral. "Cozinhar com o Vítor é sempre um prazer pois ele foi um dos meus mentores. Depois da formação que meu recebi do meu pai, ele foi uma das primeiras pessoas com quem eu trabalhei e então será um prazer revê-lo. Já cozinhei com ele no Brasil e em Portugal e agora estamos juntpos novamente em Portugal!", comemora Thiago Castanho.

Grande admirador e conhecedor da gastronomia brasileira, Vítor Sobral é um português com alma tropical e se sente em casa quando o tema é a Floresta Amazônica e seus sabores. "O tema tropical é algo com o qual os portugueses estão muito à vontade, por razões históricas. Parte da minha vida eu passei no Brasil e conheço razoavelmente bem a Amazônia, tanto a região norte da floresta quanto as capitais Manaus e Belém", diz.

Já com Thiago Castanho, o chef português afirma ter desenvolvido uma relação de amizade. "É sempre bom estar com o Thiago pois temos muitas histórias juntos. Eu o conheci no Senac de Campos do Jordão e ficamos amigos. Depois, ele veio à Portugal ficar um tempo comigo, morou na minha casa. E eu fui à Belém do Pará e fiquei amigo da família dele", reitera.

Sem revelar muitos detalhes, o paulistano Henrique Fogaça, deixa uma dica sobre o prato que vai criar ao lado de Henrique Sá Pessoa, chef que conta com duas estrelas no renomado Guia Michelin. “De exótico vou usar uma batata roxa doce com uma farinha que é bem típica do Brasil e o Henrique Sá Pessoa vai fazer uma bochecha de porco”, adianta a estrela do programa MasterChef Brasil.

Brasileiro é considerado "um dos chefes mais inovadores do mundo" 

Natural do Pará, Thiago Castanho foi citado pelo jornal “ The New York times” como “um dos chefs mais inovadores do mundo”. Para o "Jantar do Ano" vai levar algo tão típico da região que até muitos brasileiros não conhecem. "Eu sou de Belém, cidade que fica no meio da Amazônia, e eu pretendo levar uma das coisas mais importantes da região que é o tucupi, um molho feito à base de mandioca”, diz o chef brasileiro. 

A organização promete uma noite boêmia, descontraída e de sabores exóticos onde são esperadas mil pessoas. Todos os pratos são receitas desenhadas exclusivamente para o evento. “Queremos transformar a gastronomia numa experiência de espetáculo e entretenimento. As pessoas serão desafiadas a cada prato que irá para a mesa, com o som, o cheiro, o sabor. Uma verdadeira selva de improvisos", explica Francisco Mello e Castro.

Numa noite onde os sabores da floresta inspiram os chefs, a fusão de culturas e experiências é a grande marca. "Eu acho que de todos nós aquele que vai ser mais exótico é o Thiago Castanho, com verdadeiros produtos da Floresta Amazônica. Mas o que o público mais vai encontrar é a lusofonia: a mistura da cultura portuguesa com a cultura brasileira. Na mesa o que se vai notar é essa influência que nós tivemos um sobre os outros”, salienta Vítor Sobral.


Sobre o mesmo assunto

  • RFI CONVIDA

    "A cozinha brasileira ainda é um mistério aqui na França": Morena Leite, chef

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Chef carioca conquista parisienses misturando gastronomia francesa com sotaque brasileiro

    Saiba mais

  • RFI CONVIDA

    Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.