Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

“Fomos influenciados pela França desde a infância”, diz autora de guias turísticos

“Fomos influenciados pela França desde a infância”, diz autora de guias turísticos
 
A escritora Lucia Helena Monteiro Machado RFI

Ex-bailarina, psicóloga e autora de vários livros, principalmente guias turísticos de cidades europeias, a mineira Lucia Helena Monteiro Machado está preparando, aos 80 anos, uma viagem pela Rússia.

Seu caprichado “Paris para brasileiros”, com muitas fotos, textos explicativos e dicas, está na segunda edição. “Eu não queria esse título, pois Paris é Paris, é uma capital do mundo, é para todos”, diz. Ela explica que as pessoas de sua geração foram influenciadas pela literatura francesa, pelo modo de vida e pela língua. “As pessoas buscam esse mundo que encontraram na literatura”, conta.

A autora acha fundamental que o turista comece a experiência parisiense pela região central, a Île de la Cité, onde fica a catedral de Notre-Dame, passando pelo Marais e aproveitando a paisagem pitoresca dos bairros como o 5° e o 6°.

Capa do livro "Paris para brasileiros", de Lucia Helena Monteiro Machado. RFI

“As pessoas querem conhecer a Torre Eiffel, o Louvre, o museu d’Orsay, mas tem muitos outros museus maravilhosos e menores, como o Marmottan e o Jacquemart-André”, sugere Lucia Helena. “Tem também parques belíssimos, como o Monceau ou o Buttes Chaumont”, acrescenta.

Importante também, diz a escritora, é usar palavras como “bonjour” (bom dia), “s’il vous plaît” (por favor) e “merci” (obrigada/o), obrigatórias no cotidiano do francês.

“A pessoa sabe como viajar se ela sabe porque viajar”, afirma a autora. Ela faz questão de citar ainda um poema de Cecília Meirelles que a inspira, trecho do livro “Crônicas de Viagem”:

“Porque viajar é ir mirando o caminho, vivendo-o em toda sua extensão e, se possível, em toda a sua profundidade, também. É entregar-se à emoção que cada pequena coisa contém ou suscita. É expor-se a todas as experiências e todos os riscos, não só de ordem física, - mas, sobretudo, de ordem espiritual. Viajar é uma outra forma de meditar."

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • França

    Brasileiro vai disputar concurso para a reconstrução da catedral Notre-Dame

    Saiba mais

  • Um pulo em Paris

    Pirâmide do Louvre comemora 30 anos com instalação do artista urbano JR

    Saiba mais

  • Meio Ambiente

    Paris agora tem guia de restaurantes sustentáveis inspirado no Michelin

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.