Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Em entrevista, Lula critica Bolsonaro e diz que "Brasil desmanchou"

media Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista aos jornais El País e Folha de S.Paulo Captura de tela/Youtube

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu sua primeira entrevista desde sua prisão, nesta sexta-feira (26). Ele criticou o governo Jair Bolsonaro, reafirmou sua inocência e disse que "o Brasil desmanchou". O ex-presidente relembrou a descoberta do pré-sal e afirmou que via naquela ocasião a oportunidade de "fazer o país virar gigante". Lula se diz incrédulo de ver a perda de prestígio internacional do Brasil.

Na entrevista, concedida a jornalistas dos jornais Folha de S.Paulo e El País, o petista relembrou seus mandatos como uma época em que o Brasil era referência. "Eu fui o único presidente a ser convidado para todas reuniões do G8", afirmou. Lula falou ainda do seu desejo de criar um bloco regional na América do Sul para dar mais força às posições da região e lamentou que tudo isso não tenha se concretizado. "A que ponto nós chegamos, que avacalhação", disse ele.

"Obsessão de desmascarar os que me condenaram"

Sobre os processos contra o ex-presidente, Lula afirmou que sua obsessão é desmascarar "a farsa montada". Ele disse que foi para a prisão com tranquilidade e que vai provar a inocência dele. Disse que adoraria estar em casa, mas que quer sair da cadeia com a cabeça erguida e só poderá fazer isso se "tiver coragem e lutar por isso". 

O ex-presidente elogiou a atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) em outros casos, destacando decisões históricas como a aprovação de pesquisas com células-tronco, da união civil de homossexuais e das cotas nas universidades. Segundo ele, a única coisa que ele deseja é que seu caso seja julgado de acordo com o processo e destacou que não quer favores. 

Lula disse ainda que espera o dia em que as pessoas que o julgam estejam preocupadas com as provas e não com manchetes de jornais. "Ficarei preso 100 anos, mas não trocarei a minha dignidade pela minha liberdade", acrescentou.

Ele ainda brincou dizendo não ter ódio ou mágoa porque na idade dele esses sentimentos fazem mal e ele acha que é um ser humano que "nasceu pra ir até os 120 anos".

Preocupação com a família

Lula declarou estar preocupado com sua família principalmente pelo fato de seus bens estarem bloqueados para uso dos filhos. Ele disse que seus filhos o visitam com frequência, mas que "nenhum deles está bem". 

Lula criticou ainda a multa aplicada a ele no caso do tripléx do Guarujá. "Eu tinha sido multado em R$ 32 milhões, o STJ diminuiu pra R$ 2 milhões. Qual é a lógica?", questionou ele. 

Direito a dar entrevista

A primeira entrevista de Lula após a prisão aconteceu depois de muitas idas e vindas judiciais. O direito dele de conceder entrevistas havia sido negado pelo STF, que depois reviu a decisão.

Além dos jornais Folha de S. Paulo e do El País, que realizaram entrevistas hoje, o site The Intercept e a televisão TVT também conseguiram autorização para conversar com o ex-presidente.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.