Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Maduro anuncia fechamento total da fronteira da Venezuela com o Brasil

media O presidente venezuelano Nicolás Maduro em Caracas, em 30/01/2019. Miraflores Palace/Handout via REUTERS

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quinta-feira (21) o fechamento total da fronteira terrestre de seu país com o Brasil. A decisão foi tomada dois dias antes da data prevista para a entrada da ajuda humanitária solicitada pelo líder da oposição, Juan Guaidó.

"Eu decidi, no sul da Venezuela, que a partir das 20h (21h de Brasília) deste 21 de fevereiro, fica fechada total e completamente, até novo aviso, a fronteira terrestre com o Brasil", afirmou o presidente em uma reunião com o alto comando militar em Fort Tiuna.

O líder venezuelano disse ainda que está "avaliando um fechamento total da fronteira com a Colômbia", diante do que chamou de "provocações" e agressões do governo do presidente Iván Duque em aliança com o presidente americano, Donald Trump.

"Eu considero o senhor Iván Duque responsável por qualquer violência na fronteira", declarou Maduro, que também pediu aos militares colombianos que não se prestem a nenhuma agressão contra a Venezuela.

Caravana de Guaidó

Guaidó, reconhecido por 50 países como presidente interino da Venezuela, viajou nesta quinta em caravana para a fronteira com a Colômbia (oeste) para exigir a entrada de ajuda humanitária enviada pelos Estados Unidos e que está armazenada na cidade colombiana de Cúcuta.

Dois dias atrás, Maduro reafirmou sua decisão de suspender o tráfego aéreo e marítimo com Curaçao, onde a ajuda enviada a partir de Miami (EUA) está armazenada, porque ali "estavam preparando uma provocação" com o consentimento do governo da Holanda.

"É melhor prevenir do que remediar, tomar todas as medidas de segurança e proteção até novo aviso, porque as provocações devem ser trabalhadas com tempo para desmontá-las, simples assim", disse aos militares.

Guaidó anunciou que as brigadas de voluntários vão se dirigir no sábado (23) aos centros de armazenamento nos estados de Táchira e Bolívar (sul), na fronteira com Cúcuta e Roraima (Brasil), e em Puerto Cabello e La Guaira (norte).

O opositor de 35 anos garantiu que fará a ajuda humanitária entrar no país no sábado, dia que marca um mês de sua proclamação como presidente interino.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.