Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/04 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 25/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/04 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/04 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/04 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/04 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Segunda condenação de Lula por corrupção recebe destaque na imprensa europeia

media Imprensa europeia comenta a nova condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Fotomontagem RFI /Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A imprensa europeia repercute nesta quinta-feira (7) a nova condenação contra o ex-presidente Lula, no caso do sítio de Atibaia, no interior de São Paulo.

A juíza federal Gabriela Hardt, substituta do ministro Sérgio Moro na 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou Lula a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. Ela considerou a culpabilidade do petista "elevada", por ele ter recebido "vantagem indevida em decorrência do cargo de Presidente da República, de quem se exige um comportamento exemplar". A acusação sustentou que Lula teria beneficiado de reformas no sítio de Atibaia feitas pelas empreiteiras OAS e Odebrecht em troca da facilitação de contratos com a Petrobras. A defesa pode recorrer da sentença.

O petista, que está detido em Curitiba desde abril, já cumpre uma pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. A imprensa francesa explica que o ex-presidente de 73 anos poderá acumular as duas penas, uma vez que elas não totalizam 30 anos reclusão, o tempo máximo permitido no Brasil.

Batalha política

Em Portugal, o jornal Público diz que a prisão de Lula transformou-se num dos principais campos de batalha política no Brasil. Na recente campanha presidencial, o Partido dos Trabalhadores (PT) "concentrou-se em denunciar a alegada perseguição que diz ser movida contra o partido e o ex-presidente pelos tribunais, enquanto Jair Bolsonaro fez da luta contra a corrupção e do fortalecimento da Lava Jato duas das suas principais bandeiras eleitorais".

O Público assinala que a prisão de Lula após a condenação em segunda instância, quando a defesa ainda pode recorrer no Supremo Tribunal Federal (STF), é motivo de controvérsia jurídica. Em abril, explica o diário português, "os juízes do STF vão indicar se mantêm esse entendimento ou não, o que poderá permitir a libertação do ex-presidente e de vários outros políticos condenados por corrupção".

Bolsonaro tuita condenação

El País também sublinha que a Lava Jato causou um verdadeiro tsunami na política brasileira, especialmente no PT, que Lula continua dirigindo de dentro da cadeia. "Bolsonaro conseguiu, durante a campanha eleitoral, transformar o PT no inimigo número um de boa parte do eleitorado, como o grande símbolo da corrupção e do desperdício", escreve El País. Mas o PT sustenta que é vítima de perseguição política, acusado de práticas que outros partidos também realizaram, acrescenta o texto.

Na França, o jornal Le Parisien destaca que o presidente Jair Bolsonaro tuitou a segunda condenação de Lula, sem fazer comentários, em seu perfil no Twitter. Ao mesmo tempo, Le Parisien lembra que durante a campanha Bolsonaro disse que esperava que Lula apodrecesse na prisão.

Le Monde recorda que Lula é acusado em outros casos de corrupção, mas sempre se declarou inocente e vítima de um complô para impedir seu retorno ao poder. Favorito nas pesquisas na última eleição presidencial, o petista foi condenado como inelegível poucas semanas antes da votação, recorda o jornal Le Monde.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.