Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/01 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/01 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/01 08h30 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 13/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 13/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Brasileira já cruzou mais de 30 mil km dos EUA à pé

 Brasileira já cruzou mais de 30 mil km dos EUA à pé Elaine Bissonho, fluminense de 47 anos, já caminhou cerca de 30 mil quilômetros nos Estados Unidos. Arquivo Pessoal

Num país conhecido por suas longas estradas de asfalto, uma brasileira decidiu que seu caminho seria feito andando. Elaine Bissonho, fluminense de 47 anos, já caminhou cerca de 30 mil quilômetros nos Estados Unidos, o equivalente a andar de Porto Alegre até Fortaleza sete vezes.

Ela foi a primeira e única brasileira a completar a “Triple Crown”, Tripla Coroa, que é o conjunto das três maiores trilhas do país: a Appalachian Trail, a Pacific Crest Trail (que ficou famosa pelo filme “Wild”) e a Continental Divide Trail. Elaine gostou tanto da aventura que decidiu fazer tudo de novo.

“Minha primeira coroa foi um presente de aniversário para mim mesma. Quando eu terminei o Triple Crown pela primeira vez eu estava completando 40 anos e queria fazer alguma coisa especial na minha vida”, conta ela.

A segunda vez começou como uma brincadeira: “As pessoas começaram a me perguntar sobre o que eu iria fazer para comemorar os 45 anos e eu respondia que ia completar outra coroa, que queria ser uma rainha novamente”, lembra. A brincadeira virou realidade e ela se tornou a terceira mulher da história a duplicar o feito.

 

 

A motivação para começar veio naturalmente: Elaine queria algo diferente para sua vida. “No Brasil, meus amigos de 40 anos já estavam praticamente sendo avós e sempre reclamando da vida, dos relacionamentos e de qualquer outra coisa. Nos Estados Unidos, meus amigos na mesma faixa etária reclamavam que não tinham tempo para eles mesmos, que não tinham o corpo que queriam, que estavam velhos."

Sem amarras

Ela decidiu que queria viver o momento e foi procurar o que a fazia feliz.
Cada trilha leva entre três e quatro meses se, como Elaine, a pessoa manter um passo rápido. Por isso é preciso ter muita flexibilidade na vida pessoal e profissional. Ela explica que é uma questão de prioridades. “Escolhi essa vida. Não tenho filhos, não tenho cachorro, nem gato, nem periquito. A minha vida é uma vida simples, realmente de atleta. Essa é a minha maneira de viver."

Elaine tem alguns patrocínios que fornecem equipamentos e comida para suas trilhas, mas trabalha quando não está em uma de suas aventuras. “Aqui nos Estados Unidos, a estação para fazer trilhas é o verão, tenho o resto do ano para me organizar”, conta ela, que já fez diferentes trabalhos e atualmente está no mercado de vinhos.

Neste ano, a brasileira espera conseguir fazer mais três trilhas: a Arizona Trail, no estado do Arizona; a Pacific Northwest Trail no extremo norte dos Estados Unidos e a Great Divide Trail, no Canadá. “Essas três trilhas combinadas em um ano só seria uma forma diferente de uma Triple Crown”, brinca Elaine.


Sobre o mesmo assunto

  • Esportes

    Dupla brasileira corre atrás do bicampeonato no Rally Dakar

    Saiba mais

  • Tailândia

    Turistas brasileiros fogem da tempestade tropical Pabuk, a pior da Tailândia desde 1962

    Saiba mais

  • Brasil-Mundo

    Brasileira que trabalhou com família real britânica conta bastidores e gafes com a rainha

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.