Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Jair Bolsonaro toma posse com festa de apoiadores nas ruas de Brasília

media Apoiadores do presidente jair Bolsonaro fazem selfies nas proximidades do Palácio do Planalto antes da cerimônia de posse. Foto: Reuters/ Sergio Moraes

Em Brasília, entre 250 mil e 500 mil pessoas são esperadas para assistir à posse de Jair Bolsonaro. O cortejo presidencial sai da Catedral Metropolitana pouco antes das 15h, no horário local, seguindo pela Esplanada dos Ministérios até o Congresso Nacional, onde o tapete vermelho já está estendido para a passagem de Bolsonaro e de outras autoridades. A previsão é de que o discurso no Congresso e o juramento de cumprir a Constituição aconteçam até 15h45.

Raquel Miúra, correspondente em Brasília

Por volta de 11h, espectadores e apoiadores de Bolsonaro já ocupavam boa parte da Esplanada dos Ministérios. Muitos vieram vestidos de verde-amarelo, outros com as camisetas do então candidato. Cartazes com frases marcantes da campanha e bandeiras do Brasil também eram vistos em meio à multidão. Muita gente chegou cedo na expectativa de se posicionar num local com vista para o Palácio do Planalto, sede do Executivo, onde Bolsonaro irá receber a faixa presidencial de Michel Temer e depois fará um discurso à população.

Ainda é uma incógnita se Bolsonaro desfilará em carro aberto ou fechado. Além de ser uma decisão pessoal do presidente eleito e dos responsáveis por sua segurança, tudo vai depender das condições meteorológicas, uma vez que o dia é marcado por pancadas de chuva na capital federal.

Há grande expectativa sobre o tom dos dois discursos previstos, que devem sinalizar se Bolsonaro irá adotar ou não uma posição de conciliação e união nesse início de mandato, reunindo seus apoiadores e também os brasileiros que não o elegeram.

A posse ocorre sob forte esquema de segurança, com atiradores de elite posicionados em toda a Esplanada e ao menos 6.000 agentes mobilizados em meio ao público, inclusive à paisana. Antes de entrar no perímetro reservado ao público para as cerimônias, todos passam por detectores de metais.

Delegações estrangeiras

Jair Messias Bolsonaro será o 38º presidente do Brasil, eleito com pouco mais de 57 milhões de votos. Comparecem à posse, 12 chefes de Estado e de governo, além de representantes diplomáticos de vários países.

O primeiro-ministro do Marrocos, Saaddeddin el-Othmani, é uma presença marcante do mundo árabe, considerando que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, está no Brasil desde a semana passada e vem buscando uma aproximação com o novo governo ultraconservador brasileiro. Ainda do lado africano, Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde, é outro nome confirmado, bem como os chefes da diplomacia de Angola e São Tomé e Príncipe. A presença do Ministro das Relações Exteriores da Guiné também está confirmada.

Corres Brasilia Bolsonaro Journal Aprem 01/01/2019 Ouvir

Bolsonaro é um admirador de Donald Trump, mas o presidente dos Estados Unidos enviou à posse seu secretário de Estado, Mike Pompeo. A presença europeia é bastante discreta, com participação de primeiro escalão apenas do presidente de Portugal, Marcelo Rabelo de Souza, e do primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban.

Entre os líderes sul-americanos, estão presentes Sebastián Piñera (Chile), Tabaré Vázquez (Uruguai) e Iván Duque Márquez (Colômbia). Uma das ausências marcantes em Brasília é a do presidente argentino, Mauricio Macri. O chanceler Jorge Faurie será o representante do governo argentino nas cerimônias.

Ainda no Planalto, o presidente eleito recebe os cumprimentos e nomeia sua equipe ministerial formada por 22 integrantes. Há a fotografia oficial em que o presidente eleito posa ao lado dos ministros nomeados. O primeiro da lista será o titular da Justiça, o ex-juíz federal Sérgio Moro. A previsão é que por volta das 19h Bolsonaro siga para em cortejo para o Itamaraty. A recepção deve seguir até 21h.

 

Policiais em frente ao Palácio do Planalto horas antes da cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Sergio Moraes
Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.