Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/03 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/03 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/03 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/03 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/03 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 21/03 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 21/03 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/03 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Presidente do STF diz que Bolsonaro e Mourão devem fidelidade à Constituição

media Presidente do STF, Dias Toffóli, concede entrevista segurando a Constituição Federal do Brasil, em 28 de outubro de 2018. Imprensa/ STF

Assim que justiça oficializou o resultado das urna, o presidente do Supremo Tribunal Federal falou dos desafios políticos que o Brasil tem pela frente, a começar pela unificação do país: ''É preciso respeitar aqueles que não logaram êxito nessas eleições, bem como a oposição que se forma. É preciso moderação dos dois lados. O país precisa de união. Não pode haver ódio'', afirmou Dias Tóffoli.

Raquel Miúra, correspondente da RFI em Brasília

Além de elogios públicos que já fez à ditadura militar, Bolsonaro chegou a falar em faxina contra os vermelhos, num discurso há duas semanas da eleição. O filho dele, Eduardo Bolsonaro, causou polêmica ao sugerir o fechamento do Supremo Tribunal Federal ao responder uma pergunta sobre eventual impugnação da candidatura do pai. Declarações que geraram reações de políticos e autoridades.

Tóffoli disse que o novo presidente fará um juramento de respeito à Constituição perante o Congresso Nacional: ''Devem o presidente e o vice-presidente eleitos fidelidade à Constituição, ao estado democrático de direito, aos demais poderes e às instituições da república. Devem promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor e quaisquer outras formas de discriminação'', afirmou o presidente do STF

A procuradoria geral da República, Raquel Dodge também mandou recados. ''É responsabilidade do principal mandatário da nação zelar pela Constituição, pelo livre exercício do Legislativo e demais poderes e órgãos. Um país é democrático quando há liberdade''.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.