Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 12/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 12/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Japoneses desenvolvem banana orgânica que é comida com a casca

media A nova banana Mongee (pronuncia-se Mongay) vem de Okayama, no oeste do Japão. Sua particularidade é ser inteiramente comestível, incluindo a casca. Divulgação

Ela não é transgênica, não leva agrotóxico e é completamente orgânica. Conheça a banana Mongee – “Incrível”, em japonês -, desenvolvida por uma empresa de agricultura no Japão, que utilizou um método que remonta à Era do Gelo, nos primórdios da atividade agroalimentar humana. A fruta, mais doce e cheia de vitaminas, pode ser comida com a casca, que nasce fina como uma alface devido aos métodos de cultivo.

O mercado da banana, fruta tropical por excelência, nunca é imune a doenças ou riscos climáticos como inundações e ciclones. No entanto, uma nova espécie, com casca comestível, poderia mudar as variáveis do negócio.

A nova banana vem de Okayama, no oeste do Japão. Sua particularidade é ser inteiramente comestível, incluindo a casca. A Mongee é obtida por meio de um novo método de cultura, inspirado na Era do Gelo, que alterna congelamento e descongelamento e imita as condições de crescimento da época, com temperaturas em torno de 12 graus.

Para recriar o ambiente da época, as bananeiras jovens são primeiro congeladas a menos de 60 graus, depois descongeladas e replantadas. As mudanças radicais de temperatura encorajam as plantas jovens a crescer muito rápido. As bananas amadurecem após apenas quatro meses, em comparação com os dois anos necessários para as frutas cultivadas com métodos tradicionais. Rica em vitaminas e magnésio, ela não utiliza pesticidas durante o seu cultivo e não há modificação genética.

“Essa tecnologia é original nossa, e foi criada como resultado da pesquisa por Setsuzo Tanaka, nosso gerente de desenvolvimento técnico, que por um muito tempo a desenvolveu um hobby”, relatou Tetsuya Tanaka, da empresa japonesa D&T Farm, em entrevista à RFI.

“Com esse método será em breve possível também desenvolver outros produtos como o mamão papaya, o café e a goiaba”, explicou.

Preço não-competitivo

A única desvantagem da banana criada pelos japoneses é seu preço, já que esta cultura inovadora requer um investimento maior, o que tem um custo. Uma banana Mongee custa cerca € 5 (R$ 20), a unidade. Por enquanto, apenas dez dessas bananas são comercializadas a cada semana. A D&T Farm, na origem dessa descoberta, não quer parar por aí. Com o mesmo método de cultivo, deseja desenvolver variedades melhoradas de trigo, soja e milho em climas frios.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.