Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Revista francesa é condenada a pagar mais de € 100 mil por fotos de Kate de topless

media Revista Closer é condenada por publicar fotos não autorizadas pela princesa Kate Middleton. THOMAS SAMSON / AFP

A justiça francesa condenou nesta terça-feira (5) a revista Closer a pagar mais de € 100.000 por danos e prejuízos ao príncipe William da Inglaterra e a sua esposa Catherine por ter publicado fotos da duquesa de topless em 2012. Além disso, a editora e o diretor da publicação foram condenados a uma pena máxima de € 45.000 de multa pelo Tribunal Correcional de Nanterre, leste de Paris.

Os dois paparazzi, apontados como autores das fotos, também foram considerados culpados ou cúmplices por violação da intimidade e da vida privada. As fotos, publicadas em 14 de setembro de 2012, mostram Kate Middleton seminua e seu marido William, o segundo na ordem de sucessão ao trono britânico, na piscina de uma mansão na Provence, no sul da França. O duque e a duquesa de Cambridge reclamavam € 1,5 milhão pela invasão de sua privacidade.

A sentença, em particular contra danos e prejuízos, "é conforme a jurisprudência", comentou o advogado da revista, Paul-Albert Iweins, que elogiou a decisão. Em compensação, "a multa é exagerada para um simples caso de índole privada", avalia.

Palácio de Kensigton ainda não se pronunciou

O advogado do casal britânico, Jean Veil, não quis fazer comentários antes de se reunir com seus clientes. Ele adiantou que o Palácio de Kensington fará declarações a respeito da decisão. Durante a audiência, no início de maio, o advogado leu uma carta na qual o príncipe William denunciava fatos "particularmente dolorosos, já que nos recordam o assédio sofrido na morte de minha mãe". Os advogados da Closer tentaram se defender invocando o "interesse legítimo" da publicação que veiculava uma "imagem valorizadora do casal".

O promotor havia reclamado multas significativas dos dois representantes da Closer - a editora Laurence Pieau e o diretor Ernesto Mauri -, assim como a dos 'paparazzi' da agência fotográfica parisiense Bestimage, Cyril Moreau, de 32 anos, e Dominique Jacovides, de 59, suspeitos de terem tirado as fotos. Os dois fotógrafos, que negam qualquer envolvimento no caso, foram multados cada um com € 10.000. A indenização de € 100 mil, € 50 mil para cada um dos cônjuges reais, deverá ser paga solidariamente pelos quatro processados.    

Uma semana antes da Closer, em 7 de setembro de 2012, o jornal regional La Provence havia publicado uma foto da duquesa de biquíni e também foi punido. O diretor da publicação na época, Marc Auburtin, foi condenado a uma multa de € 1.500 e a fotógrafa, Valérie Suau, a € 1.000 euros. Além disso, tiveram que pagar € 3.000 euros por danos e prejuízos ao casal real.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.