Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 17/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Venda da Havaianas para acionistas do Itaú vira manchete na França

media O jornal Les Echos destaca a compra da Alpargatas, fabricante da Havaianas, pela família Moreira Salles, do banco Itaú. Miguel Schincariol / AFP

"As sandálias Havaianas mudam de mãos", anuncia nesta segunda-feira (17) o diário econômico Les Echos. Os acionistas do maior banco do Brasil, a família Moreira Salles, do Itaú, compraram na semana passada a Alpargatas, fabricante da Havaianas, por R$ 3,5 bilhões de reais, cerca de € 1 bilhão de euros. O canal de TV France 24 divulga a venda com imagens do movimento de clientes em lojas da marca na França.

A operação comercial chama a atenção da mídia francesa. As sandálias brasileiras não saem da moda há vários anos na França e entraram para a paisagem de shoppings e praias. Coloridas, confortáveis e sobretudo caras, em comparação com os preços no Brasil, as Havaianas ganharam a simpatia dos consumidores franceses.

O jornal Les Echos explica que a marca pertencia à holding J&B, do "clã Batista", agora também conhecido dos franceses pela denúncia de corrupção contra o presidente Michel Temer. "Fazia alguns anos que a família Moreira Salles estava de olho na marca, mas tinha perdido a primeira oportunidade de compra em 2015, quando Joesley e Wesley Batista arremataram a Alpargatas por R$ 2,7 bilhões de reais à vista", relata o jornal. Com a venda por R$ 3,5 bilhões de reais à Itaúsa, holding administradora do Itaú, os irmãos Batista fecharam um negócio lucrativo.

Les Echos explica que o preço subiu na reta final das negociações porque havia um concorrente na disputa, o fundo de investimentos Carlyle et Advent. Mas a família Moreira Salles bancou a oferta para manter em terras brasileiras "um dos raros ícones da indústria nacional".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.