Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Obesidade dos brasileiros ganha destaque no jornal Le Monde

media Maus hábitos alimentares contribuem para aumento de peso da população brasileiro Getty Images/Susana Gonzalez/Bloomberg

De cada cinco brasileiros, um está acima do peso, segundo uma pesquisa publicada no último dia 17 de abril pelo instituto Vigitel, o que correspondente a 18,9% da população em 2016.

Em 2006, 11,8% dos brasileiros eram considerados obesos. Um paradoxo em um país onde a fome reinava há cinquenta anos, diz o jornal francês Le Monde. A proporção de brasileiros acima do peso é ainda mais assustadora afetando 53,8% das pessoas.

Em 2010, o governo percebeu a gravidade do problema e decidiu lançar uma campanha para estimular o consumo de frutas e legumes e a prática de esportes. A estimativa, na época, é o que o sobrepeso custava cerca de US$ 250 milhões por ano aos cofres públicos, já que o sobrepso está na origem de várias doenças graves.

Em dez anos, destaca o Le Monde, o número de brasileiros que sofre de diabetes passou para 8,9%. Além disso, 25% da população tem hipertensão. Os hábitos, entretanto, parecem estar mudando. Os refrigerantes aos poucos estão desaparecendo das mesas dos brasileiros e apenas 16,5% da população em 2016 consome esse tipo de produto com frequência, diz o estudo.

Ricos e pobres

Entrevistado pelo Le Monde, o endocrinologista Thiago Fraga, lembra que a luta contra a obesidade é um desafio, principalmente nas grandes cidades, onde o problema atinge ricos e pobres. “A população mais modesta e menos instruída tem menos tempo para cozinhar e utiliza muito a fritura, que multiplica por 3 o nível calórico dos alimentos”, lembra.

Mas, de acordo com ele, o problema da má-alimentação atinge de uma outra maneira as classes mais altas, que consomem alimentos mais calóricos e com alto teor de açúcar para aliviar o stress e a ansiedade no cotidiano. O Le Monde também lembra que a obesidade atinge crianças cada vez mais novas. Um outro estudo encomendado pelo Ministério da Saúde em 2009 mostra que de cada três crianças brasileiras entre 5 e 9 anos, uma está acima do peso recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.