Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 23/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Cortes de orçamento no Brasil podem deixar índios à mercê de invasores, denuncia ONG

media As tribos isoladas estão cada vez mais ameaças, alerta a Survival International. © G.Miranda/FUNAI/Survival

A ONG Survival International denuncia as consequências dos cortes do orçamento federal para as tribos indígenas isoladas no Brasil. Para a entidade, a possível suspensão das Frentes de Proteção Etnoambiental, que protegem os autóctones da invasão de madeireiros e fazendeiros, representa uma ameaça para os índios.

Em um comunicado divulgado nesta quarta-feira (24), a Survival International afirma ter recebido informações sobre o projeto suspensão das atividades dos agentes da FUNAI. Essas frentes, que já teriam começado a ser retiradas das zonas de atuação, “possuem um papel fundamental na proteção dos territórios isolados de madeireiros, fazendeiros, garimpeiros e outros invasores”, ressalta a ONG.

O grupo explica que o Brasil teria mais de 100 tribos isoladas e que muitos deles vivem em territórios indígenas que totalizam mais de 54 milhões de hectares de floresta protegida. O comunicado, porém, frisa que essa área é vigiada por apenas 19 grupos de agentes. “É possível que todos os 19 times sejam eliminados do orçamento federal, apesar de o valor anual necessário para mantê-los ser menor do que o salário e benefícios pagos a apenas dois deputados federais brasileiros por ano”, compara o texto.

“Estas propostas são as mais recentes em uma longa lista de medidas aprovadas pelo governo de Michel Temer, e podem ter consequências catastróficas para os povos indígenas no país. Isso seria a maior ameaça enfrentada pelas tribos isoladas da Amazônia em décadas”, argumenta.

Líderes indígenas temem extinção

A possível suspensão das Frentes de Proteção Etnoambiental suscitou reações imediatas das tribos. O índio Paulo Marubo, do Vale do Javari, já teme a invasão de suas terras. “Se entrar madeireiro aqui ele vai querer fazer contato com os isolados, vai transmitir doenças e até matar.” Já a líder Sonia Guajajara disse que “cortando o orçamento da FUNAI, o governo está declarando a extinção dos povos indígenas”.

Para o diretor da Survival International, Stephen Corry, o possível corte no orçamento para proteger as tribos isoladas não seria apenas uma questão de equilíbrio das contas públicas. “É uma manobra política do agronegócio que vê as tribos isoladas como uma barreira ao lucro e está de olho em áreas da floresta tropical, que até agora estavam fora de seu alcance para a exploração. A realidade é que estes tipos de cortes podem ser uma permissão ao genocídio das tribos isoladas”, afirma.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.