Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 13/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 13/08 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • Dois mortos e seis feridos em ataque a faca na Finlândia

Planalto não trabalha com hipótese de cassação de Temer

Planalto não trabalha com hipótese de cassação de Temer
 
O julgamento da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer começa nesta terça-feira (4) no Tribunal Superior Eleitoral. Lula Marques / AGPT (11/08/2015)

O julgamento da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer começa nesta terça-feira (4) no Tribunal Superior Eleitoral. Os ministros decidirão se Temer deve ser cassado e se Dilma deverá ficar inelegível por oito anos.

Luciana Marques, correspondente da RFI em Brasília

A cúpula da Presidência, no entanto, está otimista. Uma fonte do Planalto afirmou que o governo não trabalha com a hipótese de que Michel Temer será cassado. Tanto que Temer manterá a agenda normal e não deverá acompanhar o julgamento. A assessoria do presidente declarou que seus advogados estão seguros de suas alegações, e que se encontram preparados para fazer a defesa a qualquer momento. Isso porque o Planalto sabe que, ainda que previsto para terminar esta semana, o julgamento pode ser adiado por várias razões. Os ministros podem decidir, por exemplo, dar mais prazo para a defesa.

Também é possível que um dos magistrados peça vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso. O julgamento pode ainda se arrastar com a troca de ministros: dois deles deixarão o tribunal até maio. Temer já escolheu um dos substitutos: Admar Gonzaga deverá entrar no lugar de Henrique Neves no dia 16 de abril. Gonzaga foi advogado na campanha de Dilma em 2010. O julgamento agora se refere às contas da chapa de 2014. A expectativa inicial é que a chapa Dilma-Temer, acusada de abuso político e econômico, seja julgada até esta quinta-feira (6), depois de quatro sessões marcadas exclusivamente para este caso.

Condenação da chapa

Há uma tendência de que o ministro Herman Benjamin vote pela condenação da chapa. O Ministério Público Eleitoral pediu a cassação de Temer e a inelegibilidade de Dilma Rousseff por oito anos. O deputado Valdir Colatto, que é vice-líder do PMDB na Câmara, disse que é difícil saber qual tese vai sensibilizar mais os ministros. Ele acredita que seria complexo eleger um novo presidente em eleições indiretas, caso Temer seja cassado. Desde a proclamação da República, em 1889, o Brasil já passou por oito eleições indiretas.

O julgamento vai começar com a leitura do relatório da ação, que é um resumo das diligências, perícias, depoimentos e provas do caso. Depois será a vez dos advogados de acusação e defesa e, por fim, do Ministério Público Eleitoral. Cada um terá direito a 15 minutos. Em seguida, o ministro Herman Benjamin apresentará o seu voto.

Quem entrou com a ação contra a chapa foi o PSDB, ainda em 2014. Agora, o partido, que ocupa cinco ministérios, afirma que há provas contra Dilma, mas não contra Temer. Este tipo de julgamento é inédito no TSE e é considerado o mais importante da corte até agora. A sessão é aberta ao público e por isso a segurança será reforçada.


Sobre o mesmo assunto

  • Brasil/Política

    "Cassação de Cunha pode ser fim de um ciclo político", diz analista francês

    Saiba mais

  • Cassação/Eduardo Cunha

    Conselho de Ética aprova cassação de Eduardo Cunha

    Saiba mais

  • Brasil

    Queda de Cunha tem forte repercussão na imprensa internacional

    Saiba mais

  • Oposição vence chapa para compor comissão do impeachment de Dilma

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.