Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Temer tenta evitar condenação de seus aliados na Lava Jato, diz Les Echos

media Michel Temer é "suspeito de travar as instituições", diz Les Echos REUTERS/Adriano Machado

O jornal econômico Les Echos que chegou às bancas nesta segunda-feira (13) traz uma reportagem sobre os esforços do presidente brasileiro para concretizar suas reformas estruturais. Segundo o diário francês, para não atrapalhar a aprovação dos textos, Michel Temer estaria protegendo seus aliados, acusados de corrupção.

Com o título “a contraofensiva do presidente brasileiro sobre a corrupção”, o correspondente do Les Echos no Brasil explica que o governo de Michel Temer tem “multiplicado as iniciativas para evitar a condenação de seus aliados políticos envolvidos no escândalo de corrupção da Petrobras”. Segundo o texto, o presidente estaria tentando evitar reviravoltas que pudessem atrapalhar as reformas estruturais no Congresso, ou bloquear a retomada econômica, após dois anos de recessão.

De acordo com o analista político Sylvio Costa, do site Congresso em Foco, citado pelo jornal francês, essa é “uma estratégia de autodefesa” de Temer. O presidente brasileiro é “suspeito de travar as instituições” em um momento em que acaba de enviar ao Congresso o projeto de reforma da aposentadoria e a revisão das leis trabalhistas, explica Les Echos.

“Se por acaso membros influentes do governo ou do Congresso estiverem envolvidos nos escândalos de corrupção, o ritmo das reformas poderia sofrer ou até mesmo ser comprometido. Isso seria um golpe muito duro na confiança e na retomada da atividade econômica”, completa Ramón Aracena, chefe economista do Instituto de Finanças Internacionais (IFF), que também é citado pelo jornal francês.

A reportagem do Les Echos também explica a polêmica indicação do ministro Alexandre de Moraes para a Suprema Corte. O jornal francês comenta que, por ser próximo de Temer, o jurista poderia se posicionar a favor dos interesses do presidente na instância máxima da Justiça. O correspondente lembra que, assim como outros membros do Congresso, Temer também é citado nas investigações da Lava Jato.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.