Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 12/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 12/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 12/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 12/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 11/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 11/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Brasil ocupa 79ª posição em ranking de igualdade salarial entre homens e mulheres

media Mesmo desempenhando as mesmas funções, os salários dos homens continuam sendo mais altos. REUTERS/Axel Schmidt

Divulgado nesta quarta-feira (26), o ranking do Fórum Econômico Mundial sobre iguladades salarial entre sexos traz algumas surpresas, mas continua marcado por uma dura realidade. O documento também revela uma triste previsão: homens continuarão ganhando mais que as mulheres nos próximos 170 anos.

O estudo do Fórum Econômico Mundial analisou a paridade de sexos no mundo do trabalho em 144 países, além de avaliar as diferenças entre gêneros em matéria de educação, saúde e emancipação política.

A Islândia lidera a classificação de países com maior igualdade de salários entre homens e mulheres no trabalho, pelo 8° ano consecutivo. Nesse país nórdico, que conta com pouco mais de 332 mil habitantes, os homens recebem apenas 13% a mais que as mulheres. O país é seguido no ranking pela Finlândia, Noruega, Suécia, Ruanda, Irlanda, Filipinas, Eslovênia, Nova Zelândia e Nicarágua.

A Nicarágua, aliás, é apontada como a grande surpresa do relatório, sendo o único país da América Latina a figurar entre as dez melhores nações colocadas no ranking. Já o Brasil aparece apenas na 79ª posição.

Por regiões, a Europa ocidental ocupa a liderança na classificação, seguida pela América do Norte, América Latina e Caribe, Europa Oriental e Ásia Central. Logo depois vêm o leste da Ásia e Pacífico, a África Subsaariana, o sul da Ásia, Oriente Médio e África do Norte.

Igualdade salarial não acontecerá antes de 2186

No ano passado, o relatório apontava que seriam necessários "apenas" 118 anos para alcançar a igualdade salarial. Mas o quadro piorou em 2016: de acordo com os dados divulgados, homens e mulheres terão salários equivalentes apenas em 2186, ou seja, em 170 anos.

Isso porque em 2016 as mulheres estão recebendo em média apenas 59% do que os homens recebem. Em 2008, essa proporção era de 58,3%. Em 2013, o melhor ano desse índice, que existe desde 2006, foi de 59,9%.

Em nível mundial, 80% dos homens têm uma atividade, contra 54% das mulheres. Já o número de mulheres que ocupam cargos de responsabilidade continua sendo muito baixo.

Os avanços mais importantes na igualdade salarial no último ano foram registrados no setor da educação, no qual a diferença entre homens e mulheres caiu 1%.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.