Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 18/08 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 18/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/08 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/08 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
França

Passeios pouco convencionais atraem brasileiros que visitam Paris

media Karen Goldman apresenta os melhores ingredientes e ensina como usá-los. Sâmar Razzak

A França é o principal destino turístico dos brasileiros que vêm para a Europa. A expectativa do governo francês é de que, até 2020, o país receba anualmente 1,5 milhão de turistas. Paris é um dos destinos preferidos deste público. Brasileiros que moram na capital francesa já perceberam o fascínio dos conterrâneos pela cidade luz e oferecem tours nada convencionais.

Filipe Galvon trabalhava com produção de vídeos antes de se mudar para Paris, em 2013. Ele e a sócia, Ana Bittencourt, buscavam uma atividade diferente para desenvolver em Paris e resolveram apostar no fascínio dos turistas pela cidade. “Existe um encantamento permanente dos brasileiros com Paris. Não tem uma pessoa que não ache esta cidade encantadora”, afirma.

Apostando que muita gente vem à capital francesa realizar um sonho, os sócios decidiram oferecer uma forma diferente de registrar a visita: a realização de um curta-metragem. Foi assim que nasceu o Meu Curta Paris.

Depois de uma breve conversa com os clientes e o estabelecimento do roteiro, a dupla acompanha os turistas por duas horas para produzir um vídeo de três minutos. Galvon afirma que, sempre que possível, eles procuram fugir dos clichês e registram os clientes numa Paris menos óbvia. “Mas muita gente já chega com desejos específicos e nós procuramos conciliar estas expectativas e também um pouco de surpresa e de elementos inusitados, para tornar o produto final ainda mais interessante”, conta.

Paris para quem gosta de cozinhar

A chef de cozinha Karen Goldman veio a Paris estudar culinária. Depois de se formar em uma renomada escola parisiense e passar por diferentes cozinhas estreladas da capital francesa, ela descobriu que não era isso que gostaria de fazer. Apaixonada por Paris e pela história da cidade, ela resolveu unir duas paixões, culinária e história, e criou os tours gastronômicos de Paris. A ideia veio durante as férias. “Fiz uma viagem para Moscou e São Petesburgo e resolvi fazer um tour, já que não falava nada da língua local. Foi tão legal esta experiência, aproveitei realmente mais a minha viagem e deixei cair o preconceito que eu tinha com tours”, conta.

Na volta, ela amadureceu o projeto e formatou o tour gastronômico que realiza desde 2013. São oferecidos três opções diferentes de passeios: o tour de alta gastronomia, o tour do Marais e uma degustação de queijos.

“Levo as pessoas para conhecer lugares onde podemos encontrar os melhores ingredientes, os melhores produtos. A ideia é apresentar, explicar a origem destas especialidades locais e a forma de usá-las”.

O passeio dura entre três e quatro horas e, segundo Karen, ele é indicado para quem gosta de cozinhar. “Acabo ensinando como comprar os ingredientes. A ideia nunca foi percorrer restaurantes”, explica. No percurso de queijos, Karen seleciona vários tipos e propõe a degustação dos produtos com três tipos de vinhos. A medida que as pessoas vão provando os queijos, Karen vai explicando a origem de cada um, a história das regiões e do processo de produção. Paralelamente ao trabalho de guia, ela mantém um blog de gastronomia e dá aulas de culinária.

Visitando Paris de bicicleta

A paulista Fernanda Hinke fez da bicicleta o seu principal meio de locomoção enquanto morava no Canadá. Quando mudou para Paris, há cinco anos, ela era sempre procurada por amigos e amigos de amigos para apresentar a capital francesa e mostrar as principais atrações. “Eu não me importava de fazer isso. Mas a minha única condição era: fazer o tour de bicicleta e à noite”, conta.

O que era uma forma de apresentar a cidade aos amigos virou trabalho. Numa conversa com a criadora do site Conexão Paris, Lina Hauteville, Fernanda falou sobre a ideia e o projeto foi aprovado na hora. “O diferencial deste passeio é que é o único que acontece de madrugada”, conta. O grupo, que não ultrapassa 10 pessoas, sai às 22h e retorna à 1h da manhã. De acordo com Fernanda, além de mostrar a beleza da Paris iluminada, o passeio tardio tem a vantagem de oferecer uma opção de atividade num horário em que os turistas geralmente não têm muitas opções, além de sair para jantar ou ir a um bar.

Anualmente, Fernanda acrescenta um novo passeio à gama que oferece. Já são quatro tipos de tours de bicicleta: o “Meia-Noite em Paris”, o campeão de vendas e queridinho dos brasileiros, o passeio diurno seguido de piquenique gourmet, o tour para conhecer os jardins de Monet, em Giverny, e, a novidade deste ano, as ciclo-viagens. Trata-se de roteiros que propõem três dias pedalando pelo Vale do Loire. “Nosso próximo destino será o passeio ao Mont Saint-Michel de bicicleta”, afirma.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.