Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 17/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 17/11 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 17/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Pobreza extrema diminuiu na era Lula, lembra revista francesa

Pobreza extrema diminuiu na era Lula, lembra revista francesa
 
RFI

As revistas semanais francesas deram pouco espaço para a crise política brasileira e o afastamento da presidente Dilma Rousseff, mas a L’Express optou por um viés diferente para falar do Brasil, valorizando o balanço positivo da gestão do PT.

A revista dedicou seis páginas a uma reportagem sobre a cidade de Ivaporunduva, no Vale do Ribeira, um ex-quilombo onde vivem 400 pessoas. O vilarejo teve acesso à luz elétrica em 2003 graças ao programa “Luz Para Todos” implantado pelo ex-presidente Lula para beneficiar 10 milhões de brasileiros que viviam nas regiões mais pobres do país.

A viagem a Ivaporunduva é um mergulho na história do Brasil, diz o texto da L’Express. Separados do mundo pelo rio Ribeira de Iguape, os habitantes do vilarejo – a maioria descendentes de escravos- viveram até o ano 2000 sem água e luz, em casas de pau a pique, atravessando o rio em pirogas. Depois da eleição de Lula e da chegada da luz, a vida mudou, como conta o “chefe” do vilarejo Benedito da Silva.

“Em poucos dias, Ivaporunduva passou das trevas do século 19 para as luzes do século 21”, descreve o texto. As famílias também passaram a ter geladeira, máquina de lavar roupa, ferro e secador de cabelo, graças aos créditos distribuídos no governo Lula. Na praça do vilarejo, é até possível acessar a internet.

A pobreza extrema, lembra a revista, diminuiu. Benedito da Silva, militante do PT, lembra que a chegada da TV “mudou a mentalidade” da população. “Descobrimos que fora daqui as pessoas viviam melhor, mas ao mesmo tempo estamos protegidos dos problemas da cidade, onde acabaríamos em uma favela”.

Revista cita programa Minha Casa, Minha Vida

Para a L’ Express, “apesar da gestão desastrosa que está na origem da crise atual, que gerou recessão, alta do desemprego, inflação e corrupção, o ex-presidente Lula e Dilma têm o mérito de terem diminuído a pobreza no país, graças a inúmeros programas sociais”, diz o texto. A revista também cita o programa Minha Casa, Minha Vida, que gerou empréstimos com taxas de juros de 0% e permitiu o acesso à casa própria a milhões de brasileiros.

Nivaldo Rodrigues, um dos agricultores do vilarejo, lembra que não tem mais medo de entrar no banco. “Antes eu entrava e chamavam a polícia”, declara. O L’ Express lembra que no Brasil existe um mito de que a hospitalidade do povo e a convivialidade superam o racismo, mas Lula conseguiu, através de uma política de discriminação positiva, inserir socialmente negros e índios pobres com a política de cotas.

Foi também em Ivaporunduva que Lula se envolveu pessoalmente na construção de uma ponte, que tirou a cidade do isolamento, segundo a revista. A construção possibilitou a distribuição da banana produzida localmente a um preço mais competitivo.

 

 


Sobre o mesmo assunto

  • A Semana na Imprensa

    Revista francesa destaca Moro, "o juiz que fez Lula chorar"

    Saiba mais

  • A Semana na Imprensa

    Petróleo e dinheiro sujo sempre andaram juntos, mas com Lula ainda mais, diz revista

    Saiba mais

  • A Semana na Imprensa

    Revista francesa destaca o fracasso da luta contra o terrorismo

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.