Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 15/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/06 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 15/06 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 15/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/06 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Aos gritos de "Temer presidente", PMDB deixa governo Dilma

media Diretório Nacional do PMDB decidiu, em menos de cinco minutos, deixar o governo de Dilma Rousseff, nesta terça-feira (29). Luciana Marques/RFI

Em menos de cinco minutos, o Diretório Nacional do PMDB decidiu nesta terça-feira (29) deixar o governo Dilma Rousseff. A reunião, presidida pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), ocorreu em um plenário da Câmara dos Deputados.

Luciana Marques, correspondente da RFI em Brasília

A votação foi por aclamação: os favoráveis à saída ficaram de pé e gritaram "Brasil para frente, Temer presidente" e "fora PT". Apenas o senador Jucá falou ao microfone. "A partir de hoje, nessa reunião histórica, o PMDB se retira da base do governo da presidenta Dilma Rousseff. E ninguém do país está autorizado a exercer qualquer cargo federal em nome do partido PMDB", afirmou Jucá.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), estava sentado à mesa. Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB -AL), não apareceu, assim como o vice-presidente da República, Michel Temer.

No final da reunião, o ex-ministro e presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Moreira Franco, comentou a decisão. "A maioria do partido hoje escreveu a seguinte sentença: o PMDB não participa mais da base do governo e nenhum militante do PMDB está autorizado, em nome do partido, a participar do governo", declarou Franco, um dos principais aliados de Temer.

Moreira Franco, PMDB 29/03/2016 Ouvir

Michel Temer se pronuncia por meio de vídeo

Em vídeo exibido num evento em Portugal, Temer afirmou que as instituições do Brasil "estão funcionando regularmente" e que "o Executivo, o Legislativo e o Judiciário brasileiros cumprem suas tarefas". "O Judiciário tem presença muito forte e significativa que há de ser saudada", destacou Temer.

A declaração foi uma forma de Temer dar um recado, de forma indireta, de que um eventual impeachment da presidente Dilma não significa golpe, como os governistas têm defendido. O vice saudou ainda as manifestações nas ruas pelo que chamou de "ética" na política.

O vídeo foi divulgado em evento organizado por instituição de ensino do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Temer, que participaria do encontro em Portugal, cancelou a viagem para atuar nos bastidores em Brasília pelo rompimento do PMDB com o governo Dilma.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.