Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 30/07 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 29/07 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 30/07 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 29/07 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 30/07 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 30/07 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 30/07 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 30/07 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

PF realiza buscas na casa de Lula e leva ex-presidente para depor

media Lula foi levado pela PF para prestar depoimento REUTERS/Enrique Marcarian

A Polícia Federal levou nesta sexta-feira (4) o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva para depor e fez buscas em sua casa para investigar suspeitas de de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito do escândalo da Petrobras.

 

"Estamos analisando evidências de que o ex-presidente e sua família teriam recebido vantagens para a consecução de atos dentro do governo. Ainda é uma hipótese investigativa", disse o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, responsável pela investigação.

O procurador afirmou que cerca de R$ 30 milhões foram pagos a Lula em forma de doações ou honorários por palestras, por parte de grandes construtoras acusadas de corrupção na Petrobras.

"Os favores são muitos e difíceis de quantificar. É mais fácil quantificar as obras no triplex e as obras no sítio", acrescentou, em referência às duas propriedades que o Ministério Público suspeita que foram pagas por construtoras em benefício de Lula.

O procurador disse ainda que as grandes construtoras envolvidas no escândalo da Petrobras fizeram 60% das doações recebidas pelo Instituto Lula do ex-presidente, de um valor total de R$ 20 milhões entre 2011 e 2014.

Seis construtoras (Odebrecht, OAS, Camargo Correa, Queiroz Galvao, Andrade Gutierrez e UTC) fizeram pagamentos de R$ 10 milhões, que representam 47% das receitas da empresa LILS Palestras de Lula.  "Não há ninguém isento de investigação no país. Lula não tem foro privilegiado", afirmou Lima.

 "Agressão ao Estado de Direito"

O Instituto Lula, onde também foram realizadas buscas, afirmou por meio de um comunicado que as ações policiais desta sexta-feira representam "uma agressão ao Estado de Direito".

"A violência praticada hoje contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente é uma agressão ao Estado de Direito que afeta toda a sociedade brasileira."

A ação da polícia "é arbitrária, ilegal e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal", acrescentou.

Lançando gritos e entoando slogans, dezenas de manifestantes se reuniram na sede da Polícia Federal do aeroporto de Congonhas, onde Lula depôs a partir das 8h (horário de Brasília), alguns para apoia-lo e outros para repudiá-lo. Vários entraram em confronto.

Propriedades de luxo

Os mandados de busca e condução coercitiva para depor "estão sendo executados pela Polícia Federal para investigar possíveis crimes de corrupção e lavagem de dinheiro do esquema Petrobras praticados pelo ex-presidente Lula e associados", disse o Ministério Público Federal do Paraná, que investiga a fraude da Petrobras.

"Há evidências de que o ex-presidente Lula recebeu valores oriundos do esquema Petrobas por meio do envio e reforma de um apartamento triplex e de um sítio em Atibaia, de entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e do armazenamento dos bens por uma empresa de transporte", sustentou o Ministério Público em um comunicado.

Lula nega ser proprietário do triplex no Guarujá, um balneário do estado de São Paulo, e do sítio. O Ministério Público suspeita que os prédios foram reformados por grandes construtoras brasileiras, que, em troca, obtinham contratos na Petrobras. "Acreditamos que o sítio é realmente do senhor Luiz Inácio", disse o procurador Lima.

Lula continua sendo uma das figuras políticas mais influentes do Brasil, e seu destino está intimamente ligado ao de sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff, e ao do partido que fundou, o Partido dos Trabalhadores (PT).

A Operação Lava Jato é considerada a maior investigação anticorrupção da história do Brasil e já enviou à prisão ou ameaça prender parlamentares, governadores, ex-funcionários e alguns dos principais empresários do país.

As buscas ocorrem um dia após um vendaval político no Brasil, depois do vazamento de supostas declarações de um senador governista acusando a presidente Dilma Rousseff de interferir na investigação do escândalo na Petrobras e Lula, que governou o país de 2003 a 2010, de estar ciente do esquema de corrupção.

(Com informações da AFP)

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.