Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Incêndio no Museu da Língua Portuguesa: acervo poderá ser reconstituído

media Fogo já controlado no prédio da Estação da Luz. REUTERS/Paulo Whitaker

O incêndio que atingiu o Museu da Língua Portuguesa, na cidade de São Paulo, nesta segunda-feira (21), deixou pelo menos uma vítima fatal e destruiu grande parte do prédio que era um dos cartões postais da cidade. Segundo Marcello Dantas, diretor artístico do museu, o acervo poderá ser reconstituído, já que é baseado em coleções audiovisuais e interativas.

“Estou chocado. O meu único alívio é que este é um museu reconstituível. Ele não tem nada dentro que poderia ser absolutamente perdido”, disse Dantas em entrevista à Radio CBN. “Existem cópias de todos os arquivos. Mas é uma perda gigante para a cidade”, completou.

O diretor artístico disse “não ter ideia” do que pode ter causado o incêndio. “O museu foi feito em padrões altíssimos de qualidade, muito acima da média do Brasil”, afirmou Dantas, lembrando que o teto do museu é inteiramente de madeira. O prédio é tombado e foi totalmente restaurado durante quatro anos, até ser inaugurado – ele completaria uma década no próximo mês de março.

O museu estava fechado à visitação nesta segunda-feira e apenas funcionários estavam dentro do prédio quando o fogo começou, às 15h50 do horário de Brasília. Segundo o Corpo de Bombeiros, a única vítima fatal verificada até às 21h era Ronaldo Pereira, brigadista do museu. O fogo foi controlado por volta das 18h30.

Sem licença dos bombeiros

Em entrevista coletiva, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que todos os esforços serão realizados para reconstruir o museu. O secretário da Cultura do Estado, Marcelo Araújo, definiu o incênido como “uma tragédia”: “O museu foi totalmente afetado”. O fogo destruiu o segundo e o terceiro andares do edifício histórico.

O complexo da Estação da Luz, que inclui o prédio do Museu, não tinha aval do Corpo de Bombeiros para funcionar. De acordo com os bombeiros, ouvidos pelo jornal Folha de S. Paulo, os responsáveis pelo museu apresentaram um projeto em 2004 – que foi aprovado –, mas não deram prosseguimento ao pedido.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.